Polícia

Temendo serem assassinados pelo PCC, 33 presos fazem motim na Máxima

Já foi controlado pelos agentes penitenciários

Diego Alves Publicado em 14/12/2016, às 22h58

None
maxima-capital2_1.jpg

Já foi controlado pelos agentes penitenciários

Aproximadamente 33 presos ameaçados pela facção criminosa PCC fizeram um motim no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande nesta quarta-feira (14). De acordo com o Sinsap (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária), o motim já foi controlado pelos agentes penitenciários.

Segundo informações preliminares,  inicialmente os presos, que estavam com facas artesanais, exigiam que fossem transferidos para uma cela forte e, não está descartado, a transferência para outro presídio por causa do clima tensão.

Os presos estavam no pavilhão 6, depois foram transferidos para o setor 4. Todos os 33 alegam que algumas celas estariam com as grades serradas, justamente para que eles fossem assassinados durante à noite.

As ameaças também podem estar relacionados com a superlotação na Máxima. Na manhã desta quinta-feira (15), Policiais civis e agentes penitenciários farão um protesto em frente do Presídio de Segurança Máxima.

Jornal Midiamax