Polícia

Suspeito de tentativa de feminicídio estaria preso no momento do crime

Ele teria um alvará de soltura

Midiamax Publicado em 27/10/2016, às 15h01

None
whatsapp_image_2016-10-25_at_08.09.20.jpeg

Ele teria um alvará de soltura

O principal suspeito da tentativa de feminicídio que aconteceu na madrugada desta terça-feira (25), no Bairro Santa Luzia, estaria preso no estado de Goiás no momento do crime. O homem de 35 anos foi casado com a vítima e chegou a ameaçar a mulher em várias ocasiões, por isso foi considerado como o possível autor dos disparos, mas há cerca de nove meses está preso na Unidade Prisional de Jataí, a 529 quilômetros de Campo Grande.

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, o homem está detido na unidade desde janeiro, mas no dia 10 de outubro recebeu um alvará de soltura. Ainda assim, em contato com o presídio, a reportagem foi informada que o suspeito continua preso e que não poderia estar na Capital no momento do crime.

A reportagem falou com a delegada responsável pelo caso, Ariene Nazareth Murad de Souza, da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), que informou que detalhes sobre a apuração do crime não será repassada a imprensa para não atrapalhar as investigações. 

Casos antigos

A vítima, de 30 anos, foi casada com o suspeito e teve com ele três filhos. As ameaças e lesões começaram em 2014, enquanto ela estava grávida do terceiro filho e fazia uso de bebidas alcoólicas e entorpecentes em frente de casa. Os dois discutiram e ele teria pego uma faca para ameaçá-la.

O casal entrou em luta corporal e depois de desarmar o homem, a mulher usou a faca para golpear o ex-companheiro. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e socorreu a vítima que estava em estado grave, com uma perfuração no pescoço, duas no tórax e duas no joelho.Suspeito de tentativa de feminicídio estaria preso no momento do crime

Enquanto esperava o socorro, o homem teria novamente ameaçado a mulher, afirmando que “Se não morresse a mataria”. Pelo crime, ela foi presa e ficou um mês no Presídio Feminino, enquanto o ex-marido passou seis dias internado.

Assim que foi liberada, a mulher procurou a polícia para registrar um boletim de ocorrência pela ameaça feita pela ex no dia do crime e pedir também para pedir medida protetiva contra ele. Na delegacia, ela ainda relatou que o homem era violência e que já havia sido agredida outras vezes.

Na terça-feira, no dia em que ela foi vítima dos seis disparos, a filha da mulher contou que teria recebido mensagens pelo Facebook do irmão do padrasto, avisado que ele estaria vindo para a Capital.

Ainda de acordo com informações, a jovem não teria passado o endereço de onde estavam morando, já que a mãe queria manter distância do ex-marido, que tentava fazer contato na expectativa de reatar o relacionamento. Mas, ainda assim, os familiares afirmaram que ele teria sido solto e vindo atrás da ex.

O crime

Imagens de câmeras de segurança da região, flagraram o momento em que três homens chegam em um carro. Dois deles descem, vão até a casa da vítima, que estava sentada na frente do imóvel. Depois dos disparos, os suspeitos voltam para o veículo e fogem.

A vítima sofreu perfurações na coxa direita, glúteo direito, abdômen, tórax e lombar. Ferida ela pediu ajuda aos seis filhos que estavam na casa e foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para a Santa Casa da Capital, onde passou por cirurgia e se recupera. 

Jornal Midiamax