Polícia

Quadrilha amarra motorista, rouba caminhão, mas acaba presa na Capital

 Caminhão seria vendido por R$ 7 mil na Bolívia

Thatiana Melo Publicado em 13/03/2016, às 12h47

None
382ab11c-f4cf-49f8-8b8c-e89bff75fd92.jpg

 Caminhão seria vendido por R$ 7 mil na Bolívia

Juarez Pereira da Silva, de 41 anos, Guelder Fagundes Nunes, de 26 anos, vulgo “Gordo”, Jocimara da Silva Lescano, de 35 anos, João Paulo Rodrigues, de 21 anos e Fernando Nunes da Silva, de 41 anos foram presos pela polícia depois de investigações do SIG (Serviço de Investigações Gerais) apontarem a quadrilha como autores do roubo de um caminhão, em Campo Grande.

Segundo o delegado Hoffman Dávila Cândido da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Piratininga, a quadrilha teria planejado o roubo do caminhão para vender o veículo na Bolívia, por R$ 7 mil. A quadrilha teria contratado um falso frete com a vítima, de 53 anos, que ao chegar próximo a MS-010, na saída para Rochedo foi abordada por Juarez e Guelder.

A dupla fingiu estar com problemas em seu veículo e pediu ajuda para o motorista, que ao ajudar acabou tendo seu caminhão roubado e foi amarrado em um matagal com fita. “Gordo” teria fugido com o caminhão para levá-lo para a Bolívia, enquanto Juarez teria levado o veículo Fiat Pálio, usado na emboscada, para Jocimara esconder.

A vítima ficou amarrada por cerca de 1h30, quando conseguiu soltar-se e pedir ajuda. Equipes do Batalhão de Choque foram acionadas e começaram a investigação. 'Gordo' foi preso pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), na BR-262, em Anastácio.

Juarez Pereira foi preso em hotel próximo a Delegacia de Polícia Civil do Piratininga. Após a prisão de Juarez os outros integrantes da quadrilha foram presos. Durante as investigações, os policiais descobriram que a quadrilha teria roubado um veículo Chevrolet Corsa de uma locadora de veículos na cidade de Aquidauana.

O veículo teria sido locado por Juarez em fevereiro deste ano e nunca foi devolvido. O carro estava empenhorado por R$ 6 mil, na casa de Fernando Nunes da Silva, cunhado de Jocimara.

Outro caso

Alberto Zanetti, de 62 anos, foi encontrado morto nesta quinta-feira (10) depois de ficar desaparecido por quatro dias. O corpo o idoso foi encontrado à margens da MS-441, em Bandeirantes, cidade a 70 quilômetros de Campo Grande.

O caminhoneiro desapareceu por volta da 16 horas de segunda-feira (7) enquanto fazia frete com o caminhão. O idoso havia saído da Fazenda Elizabeth com o caminhão carregado com 40 toneladas de soja e seguia pela MS-441 com destino a um armazém.

O caminhão de Alberto chegou a ser visto passando em alta velocidade na frente do armazém onde ele deveria descarregar a carga, mas segundo a testemunha o veículo não era conduzido pelo idoso e o condutor desconhecido seguiu viagem sentido a Campo Grande.

Jornal Midiamax