Polícia

Pronto para pescaria, suspeito de matar usuários de drogas é preso

Crime aconteceu em dezembro de 2015

Gerciane Alves Publicado em 17/03/2016, às 21h22

None
delegado.jpg

Crime aconteceu em dezembro de 2015

Depois de investigações, policiais civis prenderam na manhã desta quinta-feira (17) Elisson da Silva Crisalmo de Souza, de 19 anos, no Bairro Dom Antônio Barbosa, em Campo Grande quando se preparava para ir pescar. Ele é suspeito de matar José Claudio de Castro, de 26 anos, com um tiro na cabeça em dezembro de 2015.

De acordo com informações do delegado titular da 5ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, João Reis Belo, responsável pelo caso, o crime aconteceu dia 19 de dezembro na Rua Anselmo Selingardi, região sul de Campo Grande, mas o motivo teria sido uma ação que em depoimento Elisson disse que havia acontecido cerca de 50 dias antes.

“Ele conta que que não conhecia a vítima e dias antes do ocorrido estava na frente da casa da irmã dele, onde mora no Bairro Dom Antônio Barbosa. A irmã dele estava grávida e ouviu ela gritar “ladrão, ladrão”. Ele correu pra dentro da casa para ver o que estava acontecendo e o autor, que seria o José Claudio correu. Elisson olhou para ele e guardou a fisionomia e disse que iria pegar ele”, conta o delegado.

O delegado conta ainda que depois disso Elisson teria comprado uma arma, que seria um revólver calibre 38, e passou a andar com ela e na primeira oportunidade que teve de encontrar José Claudio ele atirou. Reis ressalta que tanto a vítima quanto o autor eram moradores da região, mas não se conheciam.

Elisson teria efetuado o disparo quando José Claudio estava de costas. O tiro atingiu a cabeça e seu corpo foi achado por um tio caído na rua durante a madrugada. A arma do crime não foi encontrada porque segundo o delegado, Elisson disse ter jogado dentro do Córrego Anhanduizinho.

Defesa da irmã

Durante conversa com a equipe do Jornal Midiamax, Elisson da Silva Crisalmo de Souza disse que matou José Claudio porque queria defender a irmã. A vítima teria pulado o muro e entrado na residência, onde a irmã estava, para roubar. Ao ouvir os gritos dela ele foi ver o que estava acontecendo e ao se deparar com José Claudio disse que depois o pegaria.

Elisson conta que estava guardando dinheiro para comprar uma motocicleta, mas depois desse dia usou o dinheiro, cerca de R$ 2.800, para comprar a arma usada no crime. Aproximadamente 50 dias depois Elisson teria encontrado José Claudio por acaso na rua e efetuou o disparo quando ele virou de costas.

Investigação e prisão

Segundo o delegado a polícia já vinha investigando o crime desde o ocorrido, mas Elisson foi encontrado depois de denúncias. “Ele teria dito que foi ele mesmo que matou e se alguém quisesse cobrar tinha que ir atrás dele. Essa pessoa que ouviu esse fato mencionou com outra e a informação chegou até os investigadores da 5ª DP. Eles tinham só as características físicas e depois de diligências chegou-se até ele”, conta o delegado acrescentando que Elisson foi preso na rua quando se preparava para ir pescar.

Ele foi interrogado e confessou o crime contado detalhes de como aconteceu. E delegado destaca que a Polícia Civil não tem dúvida da autoria do crime. “Foi ele realmente quem matou, agora só apuramos a verdadeira motivação já que a vítima era usuária de drogas. Então não sabemos se foi alguma coisa envolvida com drogas”, diz.

Elisson será indiciado por homicídio duplamente qualificado por motivo fútil e utilização de recurso que impossibilitou a defesa da vítima e vai responder em liberdade. A pena para este crime é de 12 a 30 anos de reclusão.  

Jornal Midiamax