Polícia

Polícia identifica mais duas possíveis vítimas de agenciador de modelos

Ele é suspeito de assediar e perturbar adolescentes pelo WhatsApp

Gerciane Alves Publicado em 23/02/2016, às 20h44

None
print.jpg

Ele é suspeito de assediar e perturbar adolescentes pelo WhatsApp

A Polícia Civil de Três Lagoas, cidade a 338 quilômetros de Campo Grande, identificou nesta terça-feira (23) mais duas adolescentes que podem ter sido assediadas pelo funcionário de uma agência de modelos durante evento  em um hotel da cidade. 

Segundo informações do delegado Paulo Rosseto, titular da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Três Lagoas as investigações continuam no sentido de apurar as veracidade da informações denunciadas. “Precisamos apurar todos os fatos para saber se realmente aconteceram os assédios e se além disso ocorreram condutas mais graves”, explica o delegado.

Ainda esta semana será marcada a oitiva com uma das vítimas identificadas. O delegado conta ainda que o agenciador já foi ouvido e liberado em seguida. Em seu depoimento na delegacia ele nega todas as acusações.

Entenda o caso

Um funcionário de uma agência de modelos, com sede em São Paulo (SP), é investigado pela Polícia Civil de Três Lagoas. O rapaz é suspeito de assediar sexualmente e perturbar jovens pelo WhatsApp, após um encontro feito pela agência em um hotel do município.

De acordo com o delegado Paulo Rosseto, titular da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Três Lagoas, no dia 13 de fevereiro a agência promoveu um evento em um hotel, localizado na Avenida Antônio Trajano, para selecionar modelos. Entre as jovens, estavam algumas adolescentes. Segundo o delegado, durante o evento mães de duas jovens, de 15 e 16 anos, procuraram a polícia.

As jovens foram ouvidas, confirmaram os fatos e mostraram mensagens que trocaram com o suspeito. As conversas de WhatsApp foram anexadas ao inquérito policial. De acordo com o delegado, o suspeito, de 25 anos, foi ouvido e negou os fatos.

Segundo o delegado Paulo Rosseto, o agenciador alegou que as mensagens serviam apenas para incentivar as jovens. De acordo com a polícia, as mães das vítimas e funcionários do hotel devem ser ouvidos nos próximos dias.  

Jornal Midiamax