Polícia

Polícia busca vítimas de bando que clonava cartões com aplicativo de celular

Três pessoas foram presas nesta quinta-feira

Gerciane Alves Publicado em 11/08/2016, às 20h29

None
20160811_160151.jpg

Três pessoas foram presas nesta quinta-feira

Policiais da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) prenderam em flagrante na manhã desta quinta-feira (10) três pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha que aplicava golpes usando cartões de crédito clonados com a ajuda de um aplicativo no celular. Agora a polícia tenta localizar as possíveis vítimas do golpe.

Volnei Paz Júnior, de 33 anos, Luan Mauricio Neponucemo Adorno, de 25 anos, e Denize Moraes Moura, de 26 anos, foram presos no Centro da Capital. Segundo o delegado os trio é natural de Goiânia. Volnei mora em Campo Grande a mais de um ano e o casal Luan e Denize chegaram na quarta-feira (9).

O golpe foi descoberto depois que um comerciante ao desconfiou de um compra feita Volnei entrou em contato com a polícia. Segundo o delegado Reginaldo Salomão, o comerciante contou que na quarta-feira Volnei tentou comprar dois Iphones no valor de R$ 4.1 mil cada um, mas na hora do pagamento o cartão que ele usava foi recusado várias vezes.

Depois de mexer no celular e aproximá-lo da máquina de cartão foi feita uma nova tentativa de pagamento e a compra foi efetuada. Pouco tempo depois o casal teria chegado tentando realizar a mesma compra e novamente houve problemas na hora do pagamento. O proprietário da loja desconfiou e pediu para que o casal voltasse no outro dia.

A polícia então foi informada do fato e na manhã desta quinta-feira a polícia prendeu em flagrante o trio na loja. Na delegacia os três revelaram que são de Goiânia e descobriram um site onde conseguiam ter acesso aos dados pessoais de qualquer pessoa do mundo e para isso pagavam cerca de 20 dólares. Com a informação dos dados do cartão de crédito da vítima e a ajuda de um aplicativo o trio consegui efetuar qualquer compra bastando apenas aproximar o celular da máquina de cartão.

Acreditando que o golpe pode ter sido aplicado em vários comércios da Capital a polícia procura agora as pessoas que podem ter sido vítimas. Foram apreendidos vários cartões de crédito, máquinas de cartão, celulares e um notebook onde estavam armazenados os dados do cadastro das pessoas.

Outro golpe

Na delegacia o celular de Luan recebeu uma ligação do WhatsApp. Os policiais recusaram, mas em seguida várias mensagens chegaram com informações de outro golpe que estava sendo aplicado em Goiânia. Outros integrantes do grupo teria aberto uma empresa no nome de laranjas e havia feito compras usando os cartões clonados.

As compras feitas na empresa totalizaram R$ 10 mil e dinheiro estava sendo retirado do banco no momento em que as mensagens chegaram no celular. Policias ainda tentaram alertar o gerente do banco de Goiânia sobre o golpe, mas os bandido já haviam saído da agência com o dinheiro. O trio responderá pelo crime de furto mediante fraude.

Jornal Midiamax