Polícia

PMA autua marceneiro por armazenamento ilegal de pescado e madeira

O mesmo é acusado de violência doméstica

Midiamax Publicado em 20/11/2016, às 11h18

None
pescado.jpg

O mesmo é acusado de violência doméstica

A PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou um marceneiro em R$ 4 mil por armazenamento de pescado e madeira ilegais. O mesmo é acusado de violência doméstica.

Policiais Ambientais de Batayporã foram acionados na última sexta-feira (18) pela Polícia Civil de Nova Andradina para proceder autuação administrativa (multa ambiental), contra um infrator que estava preso por suposta violência doméstica.

Durante a prisão do infrator, que possui uma marcenaria, os policiais civis encontraram 60 kg de pescado, sendo vários exemplares em tamanhos inferiores ao permitido pela legislação. O pescado ainda apresentava sinais de ter sido capturado com petrechos proibidos de malha to tipo redes ou tarrafa.

Também foram encontrados 5 m³ de madeira em tábuas das espécies jatobá e ipê, também sem a documentação ambiental. Não havia o Documento de Origem Florestal (DOF), que é o documento para se transportar, armazenar ou utilizar qualquer tipo de produto florestal nativo.

A PMA lavrou um auto de infração administrativo e aplicou multa de R$ 4.080,00 contra o autuado pelas duas infrações. O infrator, residente em Nova Andradina, responderá por crime ambiental de armazenamento de produto da pesca predatória. A pena para o crime é de um a três anos de detenção e pela madeira ilegal, a pena é de seis meses a um ano de detenção.

Jornal Midiamax