Polícia

Pai suspeito de espancar filho diz que menino já havia puxado faca para ele

Criança está aos cuidados de uma irmã

Wendy Tonhati Publicado em 13/09/2016, às 13h28

None
capacriancaespancadamoradaverde.jpg

Criança está aos cuidados de uma irmã

O chacareiro, de 65 anos, suspeito de espancar o filho, de 10 anos, foi ouvido pela polícia e não chegou a ser preso. A agressão ocorreu na noite da segunda-feira (12), em um bairro da região norte de Campo Grande. Em depoimento, ele alegou que a criança era indisciplinada e que bateu no filho para corrigi-lo. O pai afirmou ainda que o menino havia puxado uma faca para ele no dia anterior a agressão.  

De acordo com a Polícia Civil, após a denúncia, por volta das 21h40, a Polícia Militar foi até a casa da família, falou com vizinhos e o pai deu a versão dele sobre o que teria acontecido. A criança estaria sentada em um muro na rua com os amigos e o pai chagado embriagado, segundo as testemunhas. Ele teria puxado o garoto pelas pernas, provocando uma queda de costas, que deixou uma marca no menino. 

Depois disso, o garoto fugiu correndo e gritando pelo bairro, momento em que chamou a atenção dos vizinhos que flagraram o suposto caso de maus-tratos e fizeram imagens. O pai disse à polícia que o filho seria indisciplinado, se recusa a frequentar a escola, é rebelde e que no dia anterior o machucou com uma faca.

O Conselho Tutelar não chegou a ser acionado e o menino ficou aos cuidados de uma irmã. Ela deverá levar o garoto à Depca (Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente) e também ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal). O caso ficará a cargo do delegado titular da unidade, Paulo Sérgio Lauretto. O pai se comprometeu a comparecer às audiências judiciais. 

Agressão

Vizinhos dizem que as agressões na residência são frequentes. "A gente sempre tem notícia, sempre escutamos gritos. Ele perde aula com frequência, o pai está sempre bêbado. O menino já dormiu para fora de casa e já vimos ele ser ameaçado", declarou uma vizinha que não quis se identificar.

Na agressão ocorrida na segunda-feira, outra vizinha filmou a agressão e fotografou as costas machucadas da criança. Apesar do vídeo não mostrar com clareza a agressão, ouve-se os gritos do menino. 

Jornal Midiamax