Polícia

Motorista que atropelou mulher na BR-060 fugiu, mas acionou a polícia

Ele temia represália de familiares da vítima

Renata Portela Publicado em 17/03/2016, às 14h00

None
atropelamento_rodovia.jpg

Ele temia represália de familiares da vítima

Na manhã desta quinta-feira (17), motorista, de 38 anos, da camionete branca que atropelou Roseni Rodrigues da Silva, de 49 anos, teria acionado a polícia. Testemunhas afirmam que ele fugiu do local, mas a informação é de que ele temia represália dos familiares da vítima e saiu, mas ligou para a PRF (Polícia Rodoviária Federal).

Conforme o boletim de ocorrência, o homem conduzia uma Frontier branca. A princípio, ele havia saído de Campo Grande com a camionete, placas de Dourados (MS), e seguia para Porto Murtinho. Após o acidente, ele afirma que ligou para a PRF e relatou o ocorrido, então foi abordado e fez o teste de bafômetro, sendo liberado em seguida.

O motorista deve responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e deve se apresentar na delegacia.

Atropelamento

Segundo relato de testemunhas, Roseni deixou a criança que estuda na Escola Municipal Pedro Aleixo no ponto, onde embarcaria no ônibus escolar, nas margens da rodovia. Quando a mulher voltava para casa, foi atropelada pela camionete e os ocupantes da camionete pararam e desceram do veículo.

Após verem a mulher caída na pista e perceberem a gravidade do acidente, os dois homens entraram novamente na camionete e fugiram. Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e socorreu a vítima em estado grave, que foi levada para o hospital e não resistiu aos ferimentos.

De acordo com familiares da vítima, eles já solicitaram várias vezes na Secretaria de Educação que o ônibus entre nos travessões para embarcar as crianças, para evitar acidentes, mas o pedido ainda não foi atendido.

*Matéria alterada às 12h02 para correção de informações

Jornal Midiamax