Polícia

Mãe acha que família do ex armou vídeo de crianças denunciando estupro

​​Mãe suspeita que denúncia de estupro contra personal trainner é falsa

Thatiana Melo Publicado em 09/08/2016, às 12h49

None
depca-mj_3.jpg

​​Mãe suspeita que denúncia de estupro contra personal trainner é falsa

O caso das crianças de 3 e 4 anos de idade que denunciaram o namorado da mãe, um personal trainner, de suposto estupro, pode envolver uma trama familiar com disputa por dinheiro e briga na justiça. A desconfiança é da mãe, que acha duvidosos os relatos dos filhos. Parentes do ex-marido dela gravaram um vídeo com a denúncia e o caso chegou à Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) na quinta-feira (4).

A mãe, no entanto, acusa o ex-marido de produzir um vídeo ‘falso’, com as crianças denunciando o personal trainner por estupro, “Essa acusação foi de total irresponsabilidade. Acusar uma pessoa de um fato tão grave, montar um vídeo falso e alienar uma criança. Vai ter consequências e graves”, fala.

Segundo ela, o pai quer a guarda dos filhos e teria ficado sumido por 20 dias com as crianças, “Ele sumiu com meus filhos. O juiz deu busca e apreensão e, no último dia, ele monta um vídeo para não ser preso?”.

As crianças teriam sido levadas ao Conselho Tutelar pela mãe e passado por quatro psicólogos, onde relataram que a avó (paterna) teria feito com que elas repetissem a história em um vídeo que foi gravado pela avó.

“Ele está fazendo tudo isso para conseguir a guarda das crianças só para não pagar a pensão, não é por amor”, fala a mãe.

O caso

A Polícia Civil investiga um suposto caso de estupro de dois irmãos de 3 e 4 anos em Campo Grande. O pai dos meninos procurou o Conselho Tutelar para denunciar o crime, depois que descobriu um vídeo no qual as crianças diziam que abusadas sexualmente pelo atual namorado da mãe, um personal trainner de 28 anos.

Segundo informação apuradas pelo Jornal Midiamax, o caso foi descoberto no mês passado, depois que os meninos acabaram contado dos supostos abusos para uma tia. A mulher, então, gravou o relato das crianças e mostrou para o irmão, que foi até o Conselho Tutelar denunciar o suspeito.

As crianças foram atendidas e ouvidas pelas psicólogas do Conselho. Nos depoimentos, contaram os abusos com riquezas de detalhe, segundo apurado.

Segundo os meninos, o personal ejaculava no corpo deles e também na boca, falando que era ‘leitinho’. Ainda de acordo com os relatos obtidos, as vítimas afirmaram que achavam que o padrasto fazia ‘xixi’ nelas.

Os meninos foram retirados do convívio da mãe pelo conselho tutelar, e o caso foi entregue a Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) na quinta-feira (4). A denúncia agora é investigada pelo delegado Paulo Sérgio Lauretto.

Números

De acordo com o delegado da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), Paulo Sérgio Lauretto, do dia 1º ao dia 5 de agosto foram registrados um boletim de ocorrência por estupro de vulnerável. Em 2015 foram registrados 369 boletins de ocorrência por estupro de vulnerável.

Jornal Midiamax