Polícia

Laudo sobre morte de menino que bebeu em bar não saiu, mas amigos descartam drogas

Material para análise ainda está armazenado no Imol

Renata Portela Publicado em 17/11/2016, às 14h49

None
print_facebook.jpg

Material para análise ainda está armazenado no Imol

O exame toxicológico que vai atestar se o adolescente de 17 anos, que morreu em um posto de saúde após passar mal em um bar da Capital, usou entorpecentes ainda não foi realizado. O caso aconteceu na madrugada de domingo (13) e o material necessário para análise foi coletado e está armazenado no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal).

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, foram coletados fragmentos do coração, pulmão, fígado cérebro, sangue e urina do adolescente no Imol. Todo esse material está acondicionado mas, por falta de equipamentos, o instituto não realiza tal exame e será feito em outro laboratório. O laudo que irá atestar se o adolescente fez uso de entorpecentes na noite em que passou mal ainda pode levar semanas pra ficar pronto.

Em uma publicação no Facebook, um dos amigos da vítima que também estava no bar no dia do incidente disse que o adolescente ingeriu muitas bebidas alcoólicas. Ele chega a dizer que alertou o amigo e disse para ele ‘ir devagar’ e que também nunca viu o adolescente beber daquele jeito. Ainda na publicação, o jovem se mostra indignado com publicações que afirmam que a vítima tenha feito uso de entorpecentes.

No boletim de ocorrência, outro amigo prestou depoimento à polícia e também afirmou não saber se o amigo teria feito uso de drogas. A mãe do adolescente não quis dar mais detalhes sobre o caso, mas também afirmou que o filho não era usuário de drogas. O caso segue em investigação pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Jornal Midiamax