Polícia

Golpista se passa por delegado, pede ‘refris’ e R$ 300 em recarga de celular

Funcionária ainda foi levar mercadoria a delegacia

Midiamax Publicado em 26/01/2016, às 21h41

None
sirene.jpg

Funcionária ainda foi levar mercadoria a delegacia

O proprietário de uma padaria caiu no golpe do crédito de celular nesta terça-feira (26) em Batayporã, cidade a 310 quilômetros de Campo Grande. Um golpista que se passou pelo delegado da cidade pediu cinco garrafas de Coca-Cola e recargas de R$ 300,00. Quando chegou na delegacia, ele percebeu que caiu no golpe.

Segundo boletim de ocorrência, a vítima recebeu telefonema de um número com DDD do Mato Grosso. O homem se passou por delegado da cidade e pediu garrafas de Coca-Cola e seis recargas de R$ 50,00.

Uma funcionária foi a delegacia levar os refrigerantes e no local disseram que não havia feito pedido algum. Nisso, a vítima se deu conta de que tinha caído em um golpe. O caso foi registrado como estelionato na delegacia de polícia da cidade.

Outros casos

O golpe da recarga de celular não é novo. No dia 9 deste mês, o funcionário de um supermercado de Camapuã recebeu ligação de um golpista se passando por delegado pedindo um fardo de açúcar e R$ 600,00 em recarga de celular. A vítima não desconfiou e fez o que o golpista pediu. Consta no boletim de ocorrência, que ao perceber que havia caído no golpe, a vítima procurou a delegacia.

No dia 7 deste mês, uma jovem, de 25 anos, caiu no golpe do crédito de celular em Anaurilândia. Um homem que se identificou como policial 'André' teria ligado para o posto de combustíveis, onde a jovem trabalha pedindo cinco litros de gasolina, e que fosse colocado créditos em seis números de celulares. Ao chegar a delegacia para fazer a entrega da gasolina, a jovem percebeu que teria caído em um golpe.

Jornal Midiamax