Polícia

Ex-namorado é preso pelo estupro de acadêmica em universidade de MS

Ele foi detido em flagrante

Renata Portela Publicado em 05/04/2016, às 13h43

None
cidade_universitaria.jpg

Ele foi detido em flagrante

Acadêmica de 25 anos, estuprada por volta das 10 horas de segunda-feira (4) na cidade universitária de Dourados, cidade a 225 quilômetros de Campo Grande, contou o crime para a mãe e revelou ter sido vítima do ex-namorado. O suspeito, de 36 anos, que já tem passagens pela polícia, foi preso em flagrante.

De acordo com a Polícia Civil, a estudante chegou em casa da aula e foi direto para o banheiro tomar banho. A mãe da vítima suspeitou e viu que, após sair do banho, a jovem foi lavar a calcinha. A mulher continuou estranhando as atitudes da filha e a vítima acabou falando para a mãe que uma amiga dela havia sido estuprada.

A mãe, desconfiada, foi até o cesto de roupas sujas e encontrou a calça da jovem, suja de sangue. A mulher questionou a filha, que acabou contando que o ex-namorado, de 36 anos, a havia estuprado perto da biblioteca da universidade. As duas procuraram a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) de Dourados, onde informaram os fatos.

Não há relato de como o suspeito foi preso, mas ele foi detido em flagrante. Ainda conforme a polícia, ele já tem passagens por furto, roubo, vias de fato e violência doméstica. Ele e a vítima tiveram um relacionamento em 2014, que teria terminado porque a família da jovem não aceitava o namoro.Ex-namorado é preso pelo estupro de acadêmica em universidade de MS

Também de acordo com o boletim de ocorrência, a jovem tem problemas neurológicos e a mãe encaminhou laudos de exames para a polícia. O caso foi registrado às 15h40 como estupro e segue em investigação pela delegacia especializada.

Na manhã desta terça-feira alunos da universidade organizaram um protesto por melhorias no campus. Eles reclamam da falta de iluminação e obras inacabadas, que deixam os estudantes inseguros.

Outro lado

Segundo nota enviada pela UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) e UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), a instituição repudia e lamenta o fato ocorrido contra a integridade física da estudante. A universidade afirma que presta todo apoio necessário para as investigações policiais, como cedência de cópia das imagens de câmeras de segurança.

A universidade também diz que disponibiliza toda estrutura de acompanhamento psicológico, por meio do Hospital Universitário. E em relação à segurança, afirma que um plano de reestruturação de iluminação está em execução.

Confira a nota na íntegra:

“A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) lamentam e repudiam veementemente fato ocorrido na manhã da última segunda-feira (4) contra a integridade física de uma estudante da cidade universitária. O caso está sendo investigado pelas autoridades competentes com todo o suporte possível que cabe às universidades, tais como cedência de cópia das gravações do sistema de filmagens e apoio irrestrito ao trabalho da perícia.
UEMS e UFGD não medirão esforços para que o caso seja elucidado, resguardando a integridade da vítima e agindo com firmeza na promoção de uma investigação rigorosa e precisa.
Ações
Quanto ao atendimento à vítima, as universidades disponibilizaram toda estrutura de acompanhamento psicológico, assistência social, jurídica e de saúde, através do Hospital Universitário. Já em relação à segurança da Cidade Universitária já está em execução um plano de reestruturação da iluminação, com substituição de todas as lâmpadas, rebaixamento das luminárias e implementação de um plano diretor que prevê reforço na limpeza, manutenção, integração dos espaços e um cuidadoso planejamento de segurança.
As gestões de ambas as universidades também se comprometem acionar seus núcleos representativos na discussão e atitudes no combate à violência contra as mulheres e todo tipo de violência.”

Jornal Midiamax