Polícia

Desentendimento em cobrança pode ter motivado morte de suposto agiota

Dívida era de R$ 57 mil

Gerciane Alves Publicado em 17/03/2016, às 18h41

None
pistoleiro_1.jpg

Dívida era de R$ 57 mil

A polícia acredita que Marcos Alves Ferreira, de 44 anos, conhecido como Estevão Rodrigues pode ter sido assassinado na noite desta quarta-feira (16) por causa de um desentendimento ocorrido na semana passada durante o pagamento de uma dívida. Ele foi morto por pistoleiros armados com armamento pesado, como fuzis. Um deles identificado como Clésio Azevedo Lopes foi morto por Marcos. O crime aconteceu em Ponta Porã, distante 324 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações Jarley Inácio de Souza, da 1º Delegacia de Polícia Civil de Ponta Porã, a motivação do crime foi um desentediamento em razão de uma dívida. O delegado conta que segundo informações o agiota era muito “duro” durante as cobranças e na semana passada um cliente não teria gostado da atitude de Marcos.

“Em uma dessas cobranças que foi uma carreta que ficou penhorada por R$ 50 mil, houve um desentendimento na forma de cobrar e essas pessoas voltaram essa semana para fazer o acerto final”, explica o delegado.

Ele destaca que a discussão aconteceu durante o pagamento de R$ 50 mil da dívida mais R$ 7 mil de juros. “Semana passada houve o pagamento de R$ 57 mil, ele liberou a carreta só que para ter esse recebimento houve um discussão entre eles e o que houve ontem a noite foi um acerto final”, salienta.

O delegada ressalta que antes de ir até a casa de Marcos, o cliente avisou que estava indo fazer o acerto de contas. Sabendo do que iria acontecer, Marcos pediu que a esposa e os filhos, de 7 e 10 anos, ficassem escondidos em uma edícula, que segundo o delegado está localizada nos fundos da casa, e ficou esperando ao cliente no portão.

“Antes os pessoal ligou pra ele avisando que estava indo acertar as contas. Quando eles chegaram iniciou a troca de tiros. Nessa troca de tiros ele [Clésio] foi baleado com aparentemente três perfuração”, conta o delegado acrescentado que a polícia ainda não tem informações precisas de quantas pessoas estavam com Clésio na ação.

Porém, o delegado conta que a polícia já tem a informação que durante o desentendimento na semana anterior quatro pessoas estavam presentes. “Possivelmente os quatro estariam envolvidos ou pelo menos menos, indiretamente envolvidos”, conta o delegado.

O crime

Marcos Alves Ferreira, de 44 anos, conhecido como Estevão Rodrigues foi assassinado na noite desta quarta-feira (16), por quatro pistoleiros armados com armamento pesado, como fuzis, em Ponta Porã, distante 324 quilômetros de Campo Grande.

Ele estaria no portão de sua residência por volta das 21h50, quando quatro homens em uma caminhonete Toyota Hilux chegaram ao imóvel atirando contra a vítima. Marcos Alves correu para o interior da residência, mas foi perseguido por um dos pistoleiros, que continuou os disparos.

A vítima foi atingida com disparos de pistola e fuzil, na região do tórax e braço, mas mesmo ferida revidou e disparou contra o pistoleiro atingindo as pernas e a região da cabeça. O pistoleiro acabou caindo morto em frente ao portão da vítima.

Jornal Midiamax