Polícia

DEAM investiga suposto estupro ocorrido em confraternização de policiais militares

Vítima seria uma cabo de 33 anos

Midiamax Publicado em 16/12/2016, às 20h28

None
deam_2_0.jpg

Vítima seria uma cabo de 33 anos

A Polícia Civil investiga um suposto caso de estupro de uma policial militar durante confraternização entre militares no último fim de semana, em Campo Grande. A vítima, uma cabo de 33 anos, relatou à polícia que depois da festa desmaiou na casa dos colegas de corporação e acordou no dia seguinte no chão de um quarto, nua.

O crime, que é investigado pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher), teria  acontecido no domingo (11), mas só foi registrado na noite de quarta-feira (14). A festa  acontecia na casa de um dos suspeitos e reunia vários militares.

No fim da confraternização, segundo apurado pela reportagem do Jornal Midiamax,  a vítima passou mal e o proprietário da casa teria se negado a levá-la embora e sugerido às amigas dela que a policial dormisse na casa. Ela, então, teria desmaiado e quando acordou estava no chão de um quarto, nua.

Percebendo o possível abuso, a mulher chegou a questionar os colegas, que negaram o crime, mas conforme relato feito,  chegaram a levar a vítima até uma farmácia para que ela tomasse a pílula do dia seguinte, que evita gravidez. Para a polícia, a militar ainda relatou que acredita ter sido dopada pelos colegas e por isso não se lembra de nada.

De acordo com a delegada Fernanda Felix, a policial passou por exames necessários e o caso segue em investigação sob sigilo, para segurança da vítima. Conforme informações apuradas pela reportagem, os militares envolvidos no crime confessaram o estupro aos superiores. 

A equipe de reportagem entrou em contato com a Polícia Militar para saber se o caso é investigado pela Corregedoria e se os responsáveis já foram identificados, mas ainda não obteve resposta. 

Jornal Midiamax