Polícia

Compadre já teria tentado matar padrasto da afilhada atropelado

O crime aconteceu em 2014

Midiamax Publicado em 24/10/2016, às 21h22

None
13669664_1742283376013118_1478564132540950480_n.jpg

O crime aconteceu em 2014

Hudson Franco, de 30 anos, já teria sido vítima de uma tentativa de homicídio em maio de 2014. O autor do crime também seria o padrinho da enteada da vítima, um homem de 37 anos que agora está foragido por matar a tiros o desafeto na noite deste domingo (23), Jardim Santa Emília.

Já em 2014, o desentendimento entre os dois seria a menina, hoje com 4 anos. Na época, Hudson teria pedido para a família limitar as visitas do suspeito a enteada. Por conta disso, no dia 23 de maio, a vítima conduzia uma motocicleta quando foi atropelado por um Ford Escort vinho, no Bairro São Jorge da Laguna.

De acordo com o delegado Edemilson José Holler, durante as investigações Hudson relatou que não conhecia o condutor do veículo, mas que o passageiro do carro era o suspeito, que depois do acidente ainda sacou uma arma e efetuou três disparos contra ele.

Sem ser atingido, ele correu e pediu ajuda em um restaurante. O Corpo de Bombeiros foi acionado e o caso registrado na 6ª Delegacia de Polícia Civil como homicídio na forma tentada.

O assassinato desta noite será investigado na mesma delegacia. Se há dois anos a autoria do crime não ficou esclarecida, desta vez, testemunhas presenciaram o homicídio e confirmaram o padrinho da enteada de Hudson como o responsável pelo assassinato. O nome do suspeito, que está foragido, será preservado para não atrapalhar as investigações policiais.

Morte

A esposa de Hudson disse a polícia que estava em sua residência com o marido e mais um amigo, quando por volta das 21 horas deste domingo (23), um homem que seria conhecido da mulher, por ser padrinho de sua filha, de 4 anos, chegou ao imóvel de posse de uma arma de fogo.

O atirador teria encontrado primeiro o amigo do casal, mas avisou que 'não era ele'. Assim que viu Hudson, o homem disparou várias vezes. Três disparos atingiram o tórax, cotovelo e a perna do homem, que morreu no local. A mulher da vítima entrou em estado de choque ao perceber o crime, que foi registrado como homicídio simples.

Amigos de Hudson relataram a equipe do Jornal Midiamax que ele era muito querido por todos que o conheciam. Mensagens lamentando sua morte também foram compartilhadas nas redes sociais. 

Jornal Midiamax