Polícia

Cliente vai à polícia denunciar racismo sofrido em ótica no Centro

Agressão veio de uma vendedora, segundo vítima 

Gerciane Alves Publicado em 15/03/2016, às 18h42

None
policia_ilustrativa-gw.jpg

Agressão veio de uma vendedora, segundo vítima 

Um homem, de 28 anos, procurou a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro na tarde desta terça-feira (15) para relatar que foi vítima de discriminação ao entrar em uma ótima da Capital. 

De acordo com o registro policial o fato aconteceu por volta das 11h30 em uma ótima localizada na Rua 13 de maio, Centro de Campo Grande. A vítima relatou a polícia que ao entrar no estabelecimento uma das vendedoras do local teria começado a xingá-lo com várias palavras ofensivas e a discriminá-lo racialmente.

A vítima contou que há testemunhas da atitude da vendedora além do estabelecimento possuir câmeras de segurança que podem comprovar o ocorrido. O caso foi registrado como recusar ou impedir acesso a estabelecimento comercial, negando-se a servir, atender ou receber cliente ou comprador.

Outro lado

Segundo a propritária da ótica, que preferiu não se identificar, o atendimento foi feito por sua filha e não houve nenhum tipo de discriminação. "Ele entrou e preguntou se tínhamos óculos da Oakley e minha filha disse que não. Ele insistiu perguntando se não tínhamos nenhum lançamento da Oakley e minha filha respondeu que não trabalhávamos com essa marca. Foi aí que ele saiu bravo", relata a proprietária. 

(Matéria editada às 17h57 para acréscimo de informações)

Jornal Midiamax