Polícia

Celular furtado leva a suspeito que armazenava 1.000 imagens de crianças

O suspeito foi preso em flagrante 

Midiamax Publicado em 19/09/2016, às 20h40

None
whatsapp_image_2016-09-19_at_17.13.54.jpeg

O suspeito foi preso em flagrante 

Um homem de 40 anos foi preso na por policiais da Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) nesta segunda-feira (19) por receptação e armazenamento de fotos pornográficas de crianças no Jardim Petrópolis em Campo Grande. O caso foi descoberto depois que os investigadores encontraram fotos sexuais de bebês, crianças e adolescente no aparelho furtado e também em um pen drive que estava na casa do suspeito.

O aparelho estava com José Antônio da Costa Duarte, que foi surpreendido pelos policiais em sua casa. Ele era investigado como receptador de um celular furtado em uma oficina mecânica, localizada na Avenida Eduardo Elias Zahran, no dia 5 de setembro deste ano. Durante a prisão, os investigadores do Deco encontraram fotos pornográficas de crianças no aparelho e aprofundaram as vistorias na casa do suspeito.

Durante as buscas, o autor do furto, que teve o nome preservado e já estava detido pela polícia, pegou um pen drive que estava na mesa da residência e escondeu dentro da meia. A ação foi flagrada pelos policiais, que recuperaram o objeto e encontraram mais de mil fotos de cunho sexual de bebês, crianças e adolescentes armazenadas no dispositivo.

Além de ser investigado pelo furto do celular, crime confessado por ele, o suspeito foi autuado por tentativa de furto em favorecimento pessoal, pela tentativa de ajudar o amigo a escapar do flagrante. O homem, que já possui passagem pela polícia da Bahia e permanecerá preso.

Já José, foi preso em flagrante por receptação e levado para a Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), onde foi autuado por armazenar imagens pornográficas de crianças. Com ele, ainda foi encontrado um recibo da compra do celular, em nome do autor do furto e também porções de maconha.Celular furtado leva a suspeito que armazenava 1.000 imagens de crianças

De acordo com a delegada da especializada, Ana Cláudia Medina, o caso será repassado para a 4ª Delegacia de Polícia Civil, responsável pela investigação do furto.

O ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) enquadra esse comportamento de pedofilia no artigo 241, inciso B:adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente, que tem pena de reclusão de 1 a 4 anos e multa. (Matéria alterada às 18h27 para acréscimo de informação)

Jornal Midiamax