Polícia

Campo-grandenses agredidos em boate catarinense vão receber indenização

Campo-grandenses processaram boate de Santa Catarina

Joaquim Padilha Publicado em 11/05/2016, às 11h31

None
balihai.jpg

Campo-grandenses processaram boate de Santa Catarina

A 12ª Vara Cível de Campo Grande julgou parcialmente procedente uma ação movida por dois rapazes campo-grandenses contra uma boate de Santa Catarina, depois de serem agredidos por seguranças do local, em 2005. Segundo as vítimas, o segurança da Bali Hai Summer Club teria agredido fisicamente e verbalmente os dois depois de terem quase sido atropelados por um ônibus da empresa.

Segundo os autos, a dupla participou de uma festa promovida pela Boate em janeiro de 2005, em Porto Belo, Santa Catarina, e aguardavam o ônibus de propriedade da casa de shows com o intuito de serem levados ao estacionamento do local, quando teriam sido quase atropelados.

Diante do ocorrido, os dois reclamaram com o motorista do ônibus. Ao descerem do veículo teriam sido agredidos pelos seguranças da casa de shows. 

A boate afirmou que os campo-grandenses não tinham como comprovar as acusações, e que não teria nenhum ônibus a seu dispor, como alegaram. O juiz julgou parcialmente procedente a ação movida, condenando a empresa ao pagamento de R$ 10 mil reais à cada um por danos morais, mas dispensou o pedido de indenização por danos materiais.

O pedido de indenização por danos morais foi acolhido pelo juiz por entender que “no caso, são presumíveis os constrangimentos e sentimentos negativos suportados pelos autores, em razão das agressões suportadas, as quais geraram dores físicas e psicológicas, principalmente porque saíram de sua cidade natal em busca de diversão e, ao invés disso, tiveram sua honra e integridade físicas violadas”.

(Sob supervisão de Ludyney Moura)

Jornal Midiamax