Polícia

Após 8 dias de busca, polícia localiza em sítio adolescente levada por ex-padrasto

Mãe quer voltar para Cuiabá para escapar do assédio

Thatiana Melo Publicado em 09/05/2016, às 15h26

None
delegacia_tres_lagoas.jpg

Mãe quer voltar para Cuiabá para escapar do assédio

Depois de oito dias de procura, a mãe conseguiu localizar a adolescente de 14 anos que havia sido 'levada' pelo padrasto, de 40 anos, no dia 27 de abril, em Três Lagoas, localizada a 339 quilômetros de Campo Grande.

Com uma voz mais tranquila, ela disse que a polícia da cidade, depois de investigações, encontrou a menina em um sítio após a cidade de Selvíria. Mas, mesmo com o retorno da filha, a mãe não esconde ao falar a angústia de saber que o ex-marido ainda está atrás da menina.

“Ele me ligou dias atrás e afirmou que não deixaria que levasse minha filha. Ainda disse que amava minha filha”. Com medo de que o homem volte a levar a menina embora, ela afirmou que pretende voltar para a cidade de Cuiabá (MT).

A mãe ainda afirmou que encontrou uma menina muito diferente de sua filha ao reencontrá-la na delegacia de polícia. “Quando fui abraçá-la não parecia minha filha. Parecia que tinham drogado ela”. De acordo com a mãe, a menina teria dito que foi embora com o ex-padrasto por vontade própria, mas a mãe não acredita. “Colocaram coisas na cabeça da minha filha”.

Consensual ou não, é estupro

Independente do consentimento, ter relações com menores de 18 anos é ilícito. A menina ainda relatou para a mãe que houve contato sexual com o homem durante o tempo em que estiveram escondidos. “Só quero que ele volte para a cadeia”. Segundo a mãe, o ex-marido tem várias passagens pela polícia como tráfico de drogas, violência doméstica e homicídio e estaria cumprindo pena no regime semiaberto.

Relações sexuais ou qualquer ato libidinoso entre adultos e menores de 14 anos é considerado estupro de vulnerável, independente de a vítima consentir, segundo decisão do Superior Tribunal de Justiça que deve ser aplicada por todos os Tribunais de Justiça. 

O homem está foragido.

Ex-padrato perseguiu

Ao ir buscar a filha, de 14 anos, na escola no dia 27 de abril, na cidade de Três Lagoas, localizada a 339 quilômetros de Campo Grande, uma mãe, de 32 anos descobriu que a filha tinha sido levada pelo ex-padrasto, de 40 anos.

A diretora da escola teria dito que há vários dias o homem rondava a escola para ver a adolescente, e que nesta quarta-feira (27) teria sido a menina que teria ligado para ele pedindo dinheiro.

A mãe terminou o relacionamento no começo de 2016 e depois a filha passou a receber ligações quase que diárias do ex-padrasto.

Ao descobrir, a mãe teria pedido a menina para que não atendesse mais as ligações. “Ela sempre falava que ele só ligava para perguntar da escola”. A menina antes de sumir disse à mãe que já teria tentado se afastar do ex-padrasto, mas ele teria dito que cuidaria dela e que se ela o abandonasse, ele cometeria suicídio.

Jornal Midiamax