Polícia

Acusado de matar criança em festa de aniversário pode ser absolvido do crime

Crime aconteceu em outubro de 2014

Thatiana Melo Publicado em 12/08/2016, às 12h42

None
8c9cb50a-e8f5-47d9-9e8e-5f79f62f0883.jpg

Crime aconteceu em outubro de 2014

Douglas Aparecido Domingos de Oliveira Batista pode ser absolvido do crime de tentativa de homicídio nesta sexta-feira (12), no julgamento pela morte de Maria Clara Silva Santos, de 2 anos por não ter materialidade para condená-lo pelo crime, é o que explica o promotor do caso, Gerson Eduardo Araújo.

Nesta sexta-feira (12) acontece o julgamento de Douglas Aparecido Domingos de Oliveira e Marcos Antônio Reis Santos. Os dois respondem por homicídio qualificado por motivo torpe com recurso que dificultou a defesa da vítima e concurso de pessoas e tentativa de homicídio qualificado. Um terceiro suspeito já foi condenado a 32 anos de prisão. A criança foi morta com um tiro durante uma festa de aniversário em outubro de 2014, em uma casa na Rua Israel, no Jardim Batistão.

Entretanto, o promotor do caso afirmou que já foi provado que Douglas não dirigia o carro na noite do crime e que o motorista seria Marco Antônio Reis dos Santos, que já teria confessado. “Vou pedir a absolvição de Douglas porque não tem materialidade para condená-lo”, explica.

Uma das testemunhas e moradoras da residência onde acontecia a festa afirmou a equipe do Jornal Midiamax, que estão sendo ameaçados e que a família pretende mudar da residência. O julgamento deveria ter acontecido no dia 3 de junho, mas por conflito de defesa só nesta sexta-feira (12) os acusados estão sendo julgados.

A morte

Maria Clara foi atingida por um tiro no peito e chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A bisavó dela, que tinha 72 anos, morreu em seguida ao passar mal. Outras quatro pessoas ficaram feridas. Os acusados, Elvis Henrique Ortega Cheles foi julgado no dia 03 de junho e condenado a 32 anos de prisão, em regime fechado. 

O crime

De acordo com testemunhas, o crime ocorreu após Gabriel Henrique Amorim Bernardo ter apanhado no local, ao tentar agredir uma ex-namorada na festa. Ele saiu do local, mas voltou com amigos, Elvis, Marcos e Douglas que de repente efetuaram pelo menos 12 tiros. Um deles atingiu o peito da menina.

Na época, também ficaram feridos José Atanazio Soares, de 80 anos, Heleno Escobar, de 52 anos, Wanderson Escobar Soares, de 27 anos, José Atanazio Escobar Soares, de 29 anos, e Jorge Lopes Barbosa, de 52 anos.

Jornal Midiamax