Polícia

Três são executados na fronteira em ‘acerto de contas’

Detento do semiaberto, funcionário de veterinária e sub oficial da polícia foram executados neste sábado

Midiamax Publicado em 18/01/2015, às 01h37

None
94974db06c.jpg

Detento do semiaberto, funcionário de veterinária e sub oficial da polícia foram executados neste sábado

Três pessoas foram executadas em menos de 12 horas na fronteira do Brasil com o Paraguai, nas cidades de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero neste sábado (17). Policiais locais afirmaram que há grandes chances das execuções serem “acerto de contas” do crime organizado.

Segundo a polícia e testemunhas, os homicídios têm ligação por ocorreram de forma semelhante: a arma usada também é a mesma, uma 9 milímetros.

O primeiro crime aconteceu no início da manhã: Alcebides Rogério Lopes, de 45 anos, interno do semiaberto foi executado a tiros por dois homens quando transitava de moto na Avenida Marechal Floriano, em Ponta Porã.

O segundo assassinato aconteceu no fim da manhã, quando Esteban Roberti, funcionário de veterinária em Pedro Juan Caballero foi morto dentro da veterinária. Dois homens chegaram de moto, um deles desceu, entrou no estabelecimento e efetuou os disparos.

Pela tarde, o Sub Oficial da Polícia do Paraguai, Juan Claudio Valdez, que estava de férias em Pedro Juan Caballero, foi executado quando transitava de moto, a poucos metros da Polícia de Amambay. Dois homens que estavam em um Astra com placas do Brasil atiraram no militar. Valdez foi encaminhado com vida ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Com informações do Ponta Porã Digital.

Jornal Midiamax