Polícia

Tias dizem que padre iludiu adolescente para manter relações sexuais

O depoimento das tias ainda não foi confirmado

Renata Portela Publicado em 27/10/2015, às 13h15

None
depca-mj_3.jpg

O depoimento das tias ainda não foi confirmado

Duas tias da adolescente de 16 anos, que estaria grávida do padre Jocerlei José Tavares, foram ouvidas pela Polícia Civil na última semana. Segundo elas, a jovem é muito inocente e foi iludida por Jocerlei, que teria manipulado a menina para poder levá-la a motéis de Campo Grande.

Segundo a delegada Daniella Kades, da Depca (Delegacia Especializada de Atendimento à Criança e ao Adolescente) responsável pelo caso, as tias reafirmam a versão contada pela mãe da adolescente. De acordo com elas, o padre Jocerlei conversava com a jovem via WhatsApp e a manipulava.

As tias da adolescente ainda afirmaram para a delegada Daniella que a jovem não sabia o que iria acontecer na primeira vez em que foi ao motel com Jocerlei e que ela era virgem. Conforme depoimento, a menina só teria aceitado sair com o padre das outras três vezes porque ele deixava de conversar com ela, então a adolescente saía para poder retomar as conversas.

Ainda de acordo com a delegada, estes depoimentos podem cair por terra após o laudo das mensagens trocadas pelo padre e pela adolescente via WhatsApp. Segundo a delegada Kades, durante perícia no celular da jovem, foram mais de 200 páginas documentadas em apenas quatro dias de conversa com o padre, ou seja, seria considerado mentira que Jocerlei não estava conversando com a adolescente.

Exames de ultrassom para confirmarem a gravidez da adolescente e também para que seja constatado de quantos meses a jovem está grávida foram requisitados pela polícia algumas vezes, mas até agora a família não levou os exames até a delegacia.

Relembre o caso

No dia 29 de setembro, a Arquidiocese de Campo Grande, por meio do arcebispo dom Dimas Lara Barbosa, divulgou o afastamento do padre Jocerlei José Tavares, que exercia funções de vigário paroquial da Paróquia Santa Rita de Cássia, localizada no Bairro Universitário, região sul da Capital. Ele foi afastado após denúncia de que teria engravidado a adolescente de 16 anos.

De acordo com a nota, o caso foi passado para a Província Nossa Senhora Conquistadora dos Padres e Irmãos Palotinos de Santa Maria (RS), à qual Jocerlei pertence, que comunicou o afastamento do padre. A Arquidiocese ainda declarou que lamenta o ocorrido, que este é um caso isolado e prestará todo o apoio à família.

A mãe da adolescente procurou a polícia para registrar o suposto estupro. “Vamos ouvir todos os envolvidos, porque temos apenas uma declaração unilateral dos fatos”, afirmou o delegado titular da Depca, Paulo Sérgio Lauretto na época.

Jornal Midiamax