Polícia

Servidor é preso em Conselho Tutelar por suspeita de aliciar adolescente

Homem já havia sido preso em 2009 denunciado por pedofilia

Wendy Tonhati Publicado em 02/04/2015, às 12h30

None
tl_noticias.jpg

Homem já havia sido preso em 2009 denunciado por pedofilia

Um servidor público estadual foi preso na tarde de quarta-feira (1º) suspeito de aliciar uma adolescente de 14 anos em Três Lagoas, a 356 quilômetros de Campo Grande. O suspeito, de 61 anos, trabalhava no Conselho Tutelar da cidade e recebeu voz de prisão dentro do órgão, após uma conselheira receber a denúncia da mãe da garota.

Segundo o site TL Notícias, a conselheira recebeu a denúncia de que por cinco vezes, entre os meses de janeiro e abril, o idoso teria se encontrado com a adolescente na casa dele. Durante os encontros, o suspeito servia bebidas alcoólicas e narguilé à menina, enquanto eles assistiam a filmes eróticos e praticavam atos libidinosos.

Em troca, o idoso presenteava a adolescente com roupas, objetos diversos de valor, celular, aparelho de narguilé eletrônico e até uma moto Honda Biz. O suspeito ainda teria proposto à adolescente, que no dia no qual ela perdesse a virgindade com ele, receberia um carro zero-quilômetro 

O suspeito prestou depoimento à Polícia Civil, que deve pedir a prisão preventiva dele. A adolescente passou por exames no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), que constatou um ferimento na parte íntima da jovem. Porém, os laudos revelaram que não teria acontecido o ato sexual.

Ainda conforme o TL Notícias, em 2009 o idoso foi preso por suspeita de pedofilia. Na época, o Conselho Tutelar e a Polícia Militar foram até a residência dele e o encontraram conversando com uma adolescente de 12 anos que não tinha nenhum grau de parentesco com ele.

Os militares entraram na casa e encontraram uma adolescente de 15 anos deitada no sofá. A PM também encontrou sobre vários DVDs  uma revista pornográfica. No celular do servidor também havia muitas fotos da adolescente de 12 anos.

Ele foi encaminhado à Polícia Civil e ainda responde por esta acusação.

Jornal Midiamax