Polícia

Polícia prende comerciante que mandou matar desafeto em MS

Suspeito de matar homem espancado também foi preso

Wendy Tonhati Publicado em 24/06/2015, às 15h25

None
prisoes_paranaiba.jpg

Suspeito de matar homem espancado também foi preso

O comerciante João Batista da Silva, de 49 anos, foi preso na terça-feira (23), em Aparecida do Taboado, a 467 quilômetros de Campo Grande. Ele é suspeito de mandar matar Fábio Marques Estevão, de 37 anos, no dia 8 deste mês. Foi a terceira vez que ele sofreu atentado.

Conforme a Polícia Civil foram feitas diligências e a polícia descobriu que o suspeito de executar o crime, Valmir Ferrera Dourado, de 37 anos, havia fugido para a Bahia, onde tem familiares.  Foi expedido mandado de prisão em nome dele e feito contato com a Polícia Militar de Lagoa Real.

O mandado foi cumprido no dia 17 de junho e os policiais de Aparecida do Taboado foram até Caetité, para onde ele havia sido encaminhado e fizeram a escolta dele ao Estado. Ele confessou ter cometido o crime e revelou que um comerciante da cidade prometeu R$ 4 mil para ele matar um desafeto.

Com essa informação, a Polícia Civil representou pela prisão do comerciante, que é conhecido na região como João Arara. Na terça, os policiais foram até a casa dele e cumpriram os mandados de prisão e de busca e apreensão.

Durante as buscas, foram encontrados uma pistola calibre 32 e um recorte de jornal com a notícia do homicídio. João Batista confessou ser o proprietário da pistola e disse ter dado R$ 2,1 mil ao executor. Porém, ele alegou que o valor não foi pago para que o executor matasse a vítima, mas sim, como forma de “ajuda” ao executor.

O comerciante ainda confessou que dois dias após o crime, levou o executor até a cidade de Três Fronteiras (SP), de onde ele seguiu para a Bahia.

Jornal Midiamax