PMs são agredidos com socos e chutes por homem durante abordagem

Vinícius desferiu um chute e um soco contra o abdômen da tenente Danielle
| 22/07/2015
- 16:44
PMs são agredidos com socos e chutes por homem durante abordagem

Vinícius desferiu um chute e um soco contra o abdômen da tenente Danielle

Dois policiais militares foram agredidos por um jovem de 20 anos durante abordagem no Bairro Vespasiano Martins, região sul de Campo Grande. Na noite desta terça-feira (21) o autor agrediu com socos e chutes a tenente Danielle Perete de Freitas Neves, de 28 anos, e o soldado Everton Silva Marciliano, de 28.

Por volta das 19h45, a equipe da PM () fazia rondas quando avistou dois homens, na esquina da Rua Oswaldo de Figueiredo, em que um deles tentou fugir, mas acabou voltando ao receber ordem de parada dos militares.

O soldado ao fazer busca pessoal em Vinícius Ademetrio dos Santos Alves, ele começou a desferir chutes e socos contra a vítima. Ele ainda xingou o policial e gritou que ninguém iria segurá-lo ou tocá-lo.

A tenente mandou imobilizar o rapaz, mas ele resistiu e foi necessário o uso de algemas. Vinícius foi colocado dentro da viatura quando cerca de 30 moradores cercaram os policiais, os ameaçando para que soltassem o jovem.

Os moradores alegaram aos militares que Vinícius era portador de necessidades especiais. O padrasto e a mãe do rapaz foram ao local pedir que ele fosse solto, prometendo que ele não sairia desacompanhado de casa.

Ao ser liberado, ele desferiu um chute e um soco contra o abdome da tenente. Vinícius foi imobilizado pelo padrasto e a mãe e os policiais disseram que teriam de levá-lo até a delegacia e que eles poderiam o acompanhar.

Durante o deslocamento, o rapaz continuou ameaçando a equipe policial e que bateria na tenente de novo assim que saísse da viatura. Ao chegar à delegacia, ele foi algemado. O soldado ficou com arranhões nos braços e uma mancha vermelha na mão esquerda e a tenente com dores no abdome e costas.

Vinícius foi autuado por lesão corporal lesão corporal dolosa, desacato, desobediência e resistência na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga.

Veja também

Últimas notícias