Polícia

PMA prende caçador com arma e carne de anta e pescadora com pescado

As armas e munições e 3,5 kg de carne do animal silvestre da espécie anta foram apreendidos

Diego Alves Publicado em 26/02/2015, às 01h33

None
pma.gif

As armas e munições e 3,5 kg de carne do animal silvestre da espécie anta foram apreendidos

Uma equipe de Policiais Militares Ambientais de Cassilândia realizava fiscalização hoje nas propriedades rurais do município de Paraíso das Águas  e recebeu denúncias, de que funcionários de uma fazenda praticariam caça e pesca predatória na propriedade rural.

Ao chegar à fazenda, hoje à tarde, os policiais encontraram com um homem de 40 anos, uma espingarda calibre 36 e dois cartuchos do mesmo calibre, sem documentação. O homem confessou que teria carne de anta em sua geladeira, que teria caçado. As armas e munições e 3,5 kg de carne do animal silvestre da espécie anta foram apreendidos.

Em frente da residência de uma mulher de 33 anos os policiais encontraram duas redes de pesca (petrechos proibidos). A infratora afirmou possuir peixes que havia capturado durante a piracema e a PMA apreendeu no frízer 9 kg de pescado. A PMA também encontrou uma espingarda calibre 28 com três cartuchos, que não possuía documentação. Todo o material foi apreendido.

Os infratores receberam voz de prisão e foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Paraíso das Águas, onde foram autuados em flagrante e saíram depois de pagar fiança de R$ 1.000,00 cada um.

O infrator responderá por posse ilegal de arma e por crime ambiental de caça. A pena para a posse de arma é de um a três anos de detenção. Pelo crime ambiental de caça ilegal, a pena é de seis meses a um ano e meio de detenção, visto que a anta está na lista de espécies em extinção. Ele foi multado administrativamente em R$ 5.000,00 pela caça do animal silvestre.

A mulher também responderá por posse ilegal de arma e por pesca e armazenamento de produtos da pesca predatória. A pena para cada crime é de um a três anos de detenção. Ela foi multada administrativamente em R$ 880,00 pela pesca predatória.

Jornal Midiamax