Polícia

Motorista de Delcídio nocauteou deputado em revide a agressão

Senador ficou ao lado de funcionário

Jessica Benitez Publicado em 07/10/2015, às 17h51

None
socorrido.jpg

Senador ficou ao lado de funcionário

O deputado federal Hidekazu Takayama (PSC-PR), que apanhou depois de iniciar uma briga de trânsito no estacionamento do Congresso, não registrou queixa contra Marcos Aurélio de Almeida, motorista do senador Delcídio do Amaral (PT-MS). Após a confusão que acabou em agressão, o senador disse que não tem motivo para penalizar o funcionário. Por meio do Facebook, o sul-mato-grossense saiu em defesa do servidor e disse que “as imagens dizem tudo”.

Segundo assessoria do líder da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), no Senado, a gravação das câmeras de segurança foram analisadas, ficando evidente que Marcão, como é conhecido, não teve culpa do ocorrido. No final da tarde desta terça-feira (6) o deputado e o motorista discutiram e acabaram protagonizando cenas de agressão. 

A assessoria de Delcídio relata que Takayama estava no meio da rua dentro do estacionamento do Congresso quando Marcos passou e teve que frear para não atropelá-lo, fato que iniciou irritação no parlamentar. O funcionário, então, fez outro caminho até a porta da chamada ‘chapelaria’, entrada que os políticos usam para adentrar o prédio.

Ainda segundo assessoria, o parlamentar foi ao carro de Delcídio e iniciou discussão que teria apenas revidado à agressão de Takayama com um ‘sopapo’. Porém, como o porte físico do motorista de Delcídio é avantajado, o deputado bateu a cabeça na porta de vidro e acabou tendo que ser socorrido por conta de ferimento.

Marcos relatou sua versão dos fatos na delegacia do Congresso. O senador acompanhou tudo e conferiu a gravação das câmeras de segurança. Em seguida se manifestou via rede social. “Sobre o lamentável incidente entre um parlamentar e o meu funcionário, o Marcão, que me acompanha há 14 anos e que sempre teve um comportamento exemplar, esclareço: as imagens dizem tudo”.

Jornal Midiamax