Polícia

Lancheiro alega ‘crise financeira’ como desculpa para traficar drogas na Capital

Ação foi realizada pela Denar

Midiamax Publicado em 02/07/2015, às 22h09

None
denar_-_coletiva2.jpg

Ação foi realizada pela Denar

Marco Antônio Correa Simões, o “Gordinho”, de 43 anos, foi preso pela Denar (Delegacia Especializada de Combate ao Narcotráfico) após ser denunciado pelo tráfico de drogas. O suspeito que é lancheiro no Jardim Sarandi, região oeste de Campo Grande, alegou que se envolveu com as atividades ilícitas para driblar a crise financeira.

O suspeito usava o imóvel para guardar a droga que era comercializada na região. Após denúncia, os policiais civis encontraram no quarto de Marco uma mochila que continha vários tabletes de maconha, sobre uma cômoda, além de papelotes de pasta-base de cocaína e R$ 461,00 em notas diversas.

Já no banheiro da residência, dentro do cesto de lixo havia vários papelotes de maconha já preparados para a venda. Também foram apreendidas duas balanças, uma faca e uma peneira, objetos destinados à preparação da drogas em porções destinadas à venda.

Também foi apreendida uma motocicleta Honda CBX 250 Twister e um veículo Fiat Palio Attractiv, prata, com placas NOC-2654, de Nova Cruz (RN), que estava com a numeração do motor raspada e aparentemente com o chassi adulterado.

Além disso, a droga apreendida contabilizou 18 porções e 11 tabletes de maconha pesando 10.880 gramas, e uma porção e 14 papelotes de cocaína de 8,2 gramas. Marco Antônio alegou que havia adquirido o quilo da maconha por R$ 350,00, e que iria vender cada quilo por R$ 500,00, sendo que as porções já preparadas para a venda, tanto a cocaína como a maconha, iriam ser vendidas por R$ 10,00 a unidade. 

Jornal Midiamax