Polícia

Jovens relatam agressões durante festa universitária

 A jovem agredida diz que não prestou

Diego Alves Publicado em 05/07/2015, às 23h33

None
aacba2a.jpg

 A jovem agredida diz que não prestou

Uma estudante da Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) relata ter sido vítima de agressão durante evento universitário “Choppada Caninha”, realizado na última sexta-feira (3), no campus da Ilha do Fundão, segundo informações do Extra. De acordo com a jovem, o caso ocorreu perto das 20h, quando foi defender a irmã de um rapaz que tentava beijá-la à força. “Como percebi que (ele) estava bêbado, falei com muita calma que ela não estava interessada. Foi quando ele, imediatamente, deu um soco no meu rosto. Minha boca começou a sangrar. Fiquei sem reação”, conta a jovem. “Me senti impotente, humilhada e sem defesa, já que o segurança agiu como se a agressão à mulher fosse uma coisa normal, que acontecesse com frequência nas festas e não devesse ter consequência alguma”, relembra.

A jovem conta que, após a agressão, a irmã iniciou uma briga com o rapaz, sendo depois apartada por seguranças do evento. Mesmo com a agressão, o jovem não foi expulso da festa. A jovem agredida diz que não prestou queixa por não saber seu nome, “apenas que usava uma camisa verde”. A fim de encontra-lo, ela decidiu compartilhar a história nas redes sociais.

No mesmo evento, uma estudante de Letras da UFRJ conta que sofreu o mesmo tipo de agressão de um outro rapaz. O motivo foi o mesmo. “Eu havia me perdido dos meus amigos e fui para um lugar onde os tinha visto pela última vez. Como não os encontrei, peguei o celular para tentar localizá-los. Foi quando um garoto me agarrou e tentou me beijar. Minha primeira reação foi virar o rosto e gritar que não queria. Nessa hora, ele me deu um chute na canela com muita força. Por causa da dor, a primeira coisa que fiz foi abaixar e colocar a mão na perna. Quando vi, ele já tinha saído correndo”, relembra a jovem ao Extra, destacando que o caso ocorreu no fim do evento, por volta de meia-noite.

O EXTRA tentou entrar em contato com a Alfaseg Vigilância, responsável pela segurança do evento, mas, até agora, não obteve retorno.

Jornal Midiamax