Polícia

Jovem é preso por executar homem em rede por causa de som alto

Espíndola confessou o crime e deu detalhes

Diego Alves Publicado em 28/09/2015, às 23h29

None
depac_piratininga-policia_civil-gw_2.jpg

Espíndola confessou o crime e deu detalhes

Ademensiano Espíndola de 18 anos foi preso em Coxim, 258 quilômetros de Campo Grande, pelo assassinato de Luciano Augusto Gonçalves, 38, conhecido como ‘Barba’, na noite do último sábado (26), em uma fazenda localizada em Corumbá, 448 quilômetros de Campo Grande. O autor estava escondido na casa de familiares, no bairro Vila Bela, em Coxim.

Na delegacia, Espíndola confessou o crime e deu detalhes. ‘Barba’ foi executado enquanto estava deitado em numa rede na fazenda. Ademensiano disse que efetuou quatro disparos com um revólver de calibre 32, contra a cabeça do desafeto. Não satisfeito o jovem pegou a arma da vítima, um revólver calibre 38 e disparou mais duas vezes.

Em seguida, o jovem cobriu o corpo, fugiu, e levou o revólver de Barba. De acordo com o site Edição de Notícias, o motivo do crime foi banal, já que ele e um colega ouviam som alto com um primo. A vítima teria se incomodado, pediu para abaixar, mas não foi atendido quando puxou o fio da tomada.

Luciano foi para a rede e o autor voltou a ligar o som, quando Barba atirou no aparelho de som e avisou: “aqui é lei do lampião”. Ao deitar-se novamente na rede novamente, a vítima foi alvejada pelos tiros, e morreu no local.

O corpo de Luciano foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) de Corumbá e será levado para Goiânia (GO), onde mora sua família. Ele tinha fama de “machão”, estava acostumado a ameaçar e atentar contra as vidas de pessoas. A vítima já teria atirado contra a cabeça de um homem e as nádegas de uma mulher, sendo preso em 2008 por tentativa de homicídio.

Jornal Midiamax