Polícia

Irmãs se reencontram após 37 anos e descobrem que estavam próximas

Em casos como este, a população pode procurar a 5ª DP

Wendy Tonhati Publicado em 26/02/2015, às 19h31

None
img-20150226-wa0120.jpg

Em casos como este, a população pode procurar a 5ª DP

Após 37 anos de separação, duas irmãs se reencontraram nesta quinta-feira (26), em Campo Grande. Ercília Gonsalves, de 65 anos, e Dirce Gonsalves Panán, de 68 anos, nem imaginavam, mas estavam na mesma cidade, a cerca de 15 quilômetros uma da outra.

Dirce mora no Bairro Guanandi. Já Ercília na Vila Sobrinho. O reencontro aconteceu após a filha de Ercília, Sirley de Lima Ricaldi, de 35 anos, procurar a polícia para que a mãe pudesse reencontrar a família. Sirley diz já havia procurado a polícia, mas que dessa vez em apenas um dia a investigadora conseguiu localizar os familiares.

Segundo Dirce, a separação aconteceu após os pais morrerem. Ao todo, a família é composta por seis irmãos. Depois de perder os pais, a madrinha de Ercília acabou separando ela dos irmãos.

Dirce tem contato com os outros irmãos, que moram em Praia Grande (SP) e Aquidauana, mas que queria reencontrar a irmã que não via e achava que estaria em São Paulo. Mesmo depois de tanto tempo, as memórias ainda estão vivas para ela. “Fico feliz. A família era unida”. Já Ercília diz que agora vai ser bom para reencontrar todos os irmãos que não tem contato.

Depois do encontro, um carro só foi pequeno para a família que aumentou. A neta de Ercília e um amigo da família tiveram de ficar na delegacia, esperando uma ‘segunda viagem’, enquanto as irmãs e as filhas seguiram para a casa no Bairro Guanandi onde vão poder conversar com calma.

Segundo a investigadora Maria Campos, que é especialista na busca de desaparecidos e conseguiu unir as duas irmãs, o trabalho desenvolvido em Mato Grosso do Sul é referência no Brasil. Em casos como este, a população pode procurar a 5ª Delegacia de Polícia Civil.

Jornal Midiamax