Polícia

Irmão de suspeito de ter matado professor de informática teria participação em crime

A prisão já foi pedida pelo delegado da 1ª DP

Midiamax Publicado em 15/04/2015, às 13h13

None
img-20150415-wa0048.jpg

A prisão já foi pedida pelo delegado da 1ª DP

Daires Câmara Pereira, de 25 anos, irmão de Francimar Câmara Cardoso teve a prisão preventiva pedida pelo delegado da 1ª DP (Delegacia Polícia Civil) de Campo Grande, Miguel Said, por ser coautor na morte do supervisor e professor de informática, Bruno Soares da Silva. O fato foi apresentado na manhã desta quarta-feira (15).

“A investigação mostrou que a arma usada no crime estava de posse de Daires e ele teria entregado ao irmão, colaborando com o assassinato. Apesar de ele ter alegado que, Francimar de alguma forma entrou na casa dele e pegou esta arma de fogo, sem a autorização”, explica o delegado.

A arma usada no homicídio foi apreendida e trata-se de uma Boito, calibre 28 de dois canos. “Os laudos periciais mostraram que a espingarda foi usada em uma tentativa de latrocínio – roubo seguindo de morte – em Nova Alvorada”, revela Said, sem dar mais detalhes sobre o crime.

Em depoimento, Daires foi confrontado a respeito do fato ocorrido no interior do Estado, ocasião que alegou ter comprado a arma há pouco. “Perguntei qual era a finalidade em comprar uma arma e ele disse que era para revender”, disse o delegado.

Sobre a possibilidade ser uma “herança” de família, fato que foi falado no início da investigação, o irmão de Francimar, disse que aquela espingarda já havia sido vendida anteriormente, por conta disso, ele adquiriu a que posteriormente foi usada no homicídio.

Por conta do rumo que tomou a investigação, Miguel Said pediu a prisão preventiva de Daires e também de Francimar, que tem que ser colocado em liberdade no dia 18 deste mês, que é quando acaba a prisão temporária que foi decretada pela Justiça anteriormente.

Jornal Midiamax