Polícia

Guarda que matou em briga de bar ganhou cargo de confiança de Bernal

Suspeito foi designados para funções em setembro

Midiamax Publicado em 02/10/2015, às 20h35

None
unnamed_1.jpg

Suspeito foi designados para funções em setembro

O guarda municipal afastado Fábio Augusto da Silva Souza, suspeito de matar Felipe Cardoso da Silva, de 23 anos, durante uma briga de bar no Conjunto Aero Rancho na noite desta quinta-feira (1º), havia ganhado recentemente do prefeito Alcides Bernal (PP) um cargo de confiança na Semad (Secretaria Municipal de Administração).

De acordo com o Diário Oficial do Município, Fábio exerce a função de ‘supervisor de processo’ desde o dia 1ª de setembro de 2015. A decisão foi publicada no dia 25 do mês passado, o suspeito e outros dois servidores foram designados para funções de confiança na administração municipal, com um salário-base de R$ 2.600.

Além disso, Fábio foi um dos 220 guardas municipais considerados aptos para a Concessão do Porte de Arma de Fogo pela Secretaria Municipal de Segurança Pública de Campo Grande, no dia 12 de agosto deste ano. O rapaz aparece na lista dos servidores considerados aprovados na Avaliação Psicológica para o porte de arma. Na ocasião, 13 guardas foram reprovados.

Em 2014, Souza também foi investigado pela a Procuradoria-Geral do Município por participação, juntamente com outros oito servidores, na suposta ocupação do Paço Municipal no dia 15 de maio, quando prefeito Alcides Bernal (PP), na época afastado do cargo, voltou para a Prefeitura por meio de liminar.

O homicídio desta quinta-feira (2) é investigado pela 5ª Delegacia de Polícia Civil da Capital e Fábio permanece foragido deste o crime. Outro guarda municipal, identificado como Emerson Pecurado da Silva, de 32 anos, foi preso por emprestar a arma de fogo para o colega cometer o crime.

Entenda o caso

Por volta das 22h40 de quinta-feira, o guarda civil municipal, que é apelidado de Caveirinha, passou na Base da GCM (Guarda Civil Municipal), localizada na Avenida Ernesto Geisel, e chamou um colega de trabalho para ir com ele até o bar comprar bebidas para a comemoração de seu aniversário.

No local, os suspeitos encontraram um homem com quem Fábio tinha uma desavença. O guarda entrou no estabelecimento comercial e começou uma briga generalizada. Após a confusão, Fábio voltou para a Base da GCM e convenceu Emerson, que estava de serviço, a ir ao bar para ‘dar um susto nas pessoas’. Ele estava com uma pistola e emprestou a arma para Fábio.

O autor chegou ao bar e atirou em Felipe, que não tinha nada a ver com a confusão. Emerson voltou para a base da guarda, onde foi preso e Fábio fugiu. 

Jornal Midiamax