Polícia

Guarda municipal se envolve em briga de boteco e mata um na Capital

Ele chamou colega de serviço para 'dar um susto nas pessoas'

Midiamax Publicado em 02/10/2015, às 10h21

None
unnamed.jpg

Ele chamou colega de serviço para ‘dar um susto nas pessoas’

O guarda civil municipal se envolveu em uma briga generalizada e matou um homem em um bar no Conjunto Aero Rancho, região sul de Campo Grande. Ele foi identificado apenas como Fábio.

Segundo a polícia, por volta das 22h40, Fábio, conhecido como Caveirinha, estava fazendo aniversário e como estava de folga resolveu passar na Base da GCM (Guarda Civil Municipal), que fica localizada na Avenida Ernesto Geisel, e chamou um colega de trabalho para ir com ele até o bar comprar bebidas para a comemoração.

Ao chegar ao local, encontrou um homem com quem tem uma desavença. Ele entrou no estabelecimento comercial e mais oito pessoas entraram com ele e se iniciou uma briga generalizada.

Após a confusão, Fábio voltou para a Base da GCM e convenceu o outro agente, identificado apenas como E.P.S., 32 anos, a retornarem ao bar para ‘dar um susto nas pessoas’. O outro guarda estava com uma pistola e emprestou para Fábio.

Fábio chegou ao bar e desferiu um tiro que atingiu Felipe Cardoso da Silva, 23 anos, que não tinha nada a ver com a confusão. A vítima estava sentada em uma das cadeiras do estabelecimento comercial quando foi atingido e morreu.

E.P.S voltou para a base da guarda e Fábio fugiu. O GCM que estava de serviço foi preso em flagrante por ter emprestado a arma. Ele tem posse de arma, mas não tem porte e, por este motivo, não poderia estar portando a pistola. Fábio está foragido e o caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga.

Porte de arma

Uma lei de agosto de 2014 autoriza porte de arma de fogo aos agentes da Guarda Civil Municipal, mas considera que é necessário a avaliação psicológica dos servidores como critério fundamental. 

Jornal Midiamax