Polícia

Guarda Municipal preso por roubo de cerveja e kit churrasco já tem passagem

Corporação garante que guardas passaram por investigação social

Thatiana Melo Publicado em 26/10/2015, às 13h08

None
img-20151026-wa0020.jpg

Corporação garante que guardas passaram por investigação social

O guarda municipal Carlos Alexandre Barbosa, de 29 anos, que está preso desde a noite deste domingo (25) suspeito de tentar furtar um 'kit churrasco' em supermercado de Campo Grande, já tinha passagem policial por furto. A informação foi confirmada pela Guarda Municipal de Campo Grande. Mesmo assim, a corregedoria da corporação aguarda o recebimento do inquérito e pode, no máximo, suspender o servidor público.

Segundo a assessoria, corregedoria tem 30 dias para finalizar as investigações e as punições podem ser advertência verbal ou por escrito e a suspensão. A eventual exoneração dependeria de procedimento administrativo na Prefeitura.

Apesar de admitir que o guarda já tem passagem pela polícia em 2012 por furto, a Guarda Municipal de Campo Grande não soube explicar como ele passou pela suposta investigação social que a corporação recentemente garantiu ter aplicado a todos os integrantes. No procedimento deveriam ser levados em conta crimes cometidos pelos candidatos quando tentam se tornar integrantes das instituições ligadas à segurança pública.

Não é o primeiro episódio controverso envolvendo integrantes da Guarda Municipal de Campo Grande, que se tornou alvo de críticas até por parte de integrantes de outras corporações por 'prejudicar a imagem de todos' na segurança pública frente à população.

Caso

Na noite deste domingo (25), o guarda municipal foi preso depois de tentar furtar um 'kit churrasco', em um supermercado de Campo Grande. O guarda estava sendo monitorado por seguranças do estabelecimento, através das câmeras de segurança.

De acordo com informações de um funcionário, o guarda teria colocado dentro da sua mochila cerveja, carne e um jogo de facas. Ao tentar sair do supermercado foi abordado pelo segurança, que o levou até uma sala do estabelecimento.

Depois da abordagem o guarda mostrou um documento identificando-se como guarda municipal. A Polícia Militar foi acionada e o guarda levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do centro.

Jornal Midiamax