Polícia

Guarda e MPE firmam parceria para combater a violência e evasão escolar

Campanha começa no dia 6

Midiamax Publicado em 04/07/2015, às 17h37

None
gcm.jpg

Campanha começa no dia 6

Em nova reunião realizada na sexta-feira (3), no auditório da 27ª Promotoria da Vara da Infância e Juventude foram definidas as ações que deverão ser implementadas para compor a campanha de conscientização e fiscalização sobre a permanência inadequada de alunos em horário escolar nos terminais de ônibus, entorno das unidades de ensino, praças e outros ambientes públicos de lazer. A campanha tem início a partir desta segunda-feira (6) e vai contar com o esforço coletivo de toda sociedade.

A Secretaria Municipal de Segurança Pública (SEMPS) em parceria com a 27ª Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude, Conselhos Tutelares, PM (Polícia Militar), Polícia Civil, Secretaria Municipal de Ensino, Secretaria Estadual de Ensino, Shopping Campo Grande e Assetur (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano), deverá compor um plano de ação, que tem como um dos principais objetivos reforçar as rondas ostensivas, nas imediações das unidades públicas de ensino da capital, principalmente nos horários de entrada e saída das escolas.

As ações, definidas, pelos representantes das entidades que irão compor a campanha, visam atender as reivindicações das escolas públicas da capital, relacionadas ao reforço da segurança e combate a evasão escolar. Até o retorno das aulas, após o período de férias escolares do mês de julho, a campanha segue com o intuito de orientação e esclarecimento, para os pais e alunos, sobre as medidas que serão adotadas para evitar a permanência inadequada de alunos, em horário escolar nos terminais de ônibus, entorno das unidades de ensino, praças e outros ambientes públicos de lazer.

Valério Azambuja, secretário Municipal de Segurança Pública, relata que o objetivo é alertar sobre os prejuízos do uso de drogas e afins, violência entre os adolescentes e inibir a prática de diversos crimes, principalmente o de depredação ao patrimônio público. “É responsabilidade de toda a sociedade zelar pelo bem estar das crianças e adolescentes e mostrar de forma adequada para estes jovens quais são as consequênciais para suas ações. A ação é para evitar a presença de alunos e pessoas com atitudes suspeitas, durante o período das aulas, nas regiões que cercam a unidade de ensino e nos terminais de transbordo. O principal objetivo é coibir toda e qualquer violência que coloque em risco a vida dos alunos”.

Parceria

O promotor da Vara de Infância, Adolescência e Juventude, Sérgio Harfouche, destaca que a campanha vem de encontro do programa implantado nas escolas públicas da capital que é a reparação de danos causados pelos alunos e previstos nos regimentos escolares. “Devemos voltar os olhos para estes jovens. O correto em muitos casos é fazer com que o adolescente seja responsabilizado pelos seus atos realizando serviços em beneficio da escola. Quando apanhado matando aula e ou cometendo alguma irregularidade neste período, a responsabilidade deverá ser voltada para os pais. As medidas de proteção e orientação só funcionam se tivermos uma colaboração adequada da família integrada com a escola. É com esse intuito que firmamos esta parceria e vamos trabalhar para coibir toda e qualquer ação que prejudique o desenvolvimento dos jovens da capital”.

A campanha prevê ainda alertar os comerciantes sobre a proibição da venda de produtos que causem dependência ou ofereça riscos à vida de crianças e adolescentes. Para a conselheira tutelar Ana Paula Morilhas a união de esforços é imprescindível para atender as diversas demandas que envolvem, principalmente os adolescentes. “Fora da sala de aula, além do prejuízo educacional, o aluno fica exposto a práticas não saudáveis, como uso de álcool, narguilé, cigarro, e outras drogas. Por isso, acreditamos que esse trabalho integrado venha atender diversas necessidades relacionadas à qualidade de vida destes indivíduos”.

Todos os servidores da GCM (Guarda Civil Municipal) envolvidos na campanha passaram por uma série de capacitações especificas e destinadas a atender os objetivos desta ação. “Nosso papel em relação aos jovens é promover sua segurança e propiciar o melhor ambiente para que ele se desenvolva e possa ter uma excelente qualidade de vida. Para isso, todos os Guardas Civis Municipais envolvidos diretamente neste projeto foram selecionados e serão capacitados para atender essa demanda de forma adequada”, ressalta Valério.

Quem notar toda e qualquer irregularidade envolvendo crianças e adolescentes que se encontram fora do ambiente escolar durante o período das aulas poderá acionar a GCM através dos números gratuitos 153 e 199.

Jornal Midiamax