Polícia

Filho de policial civil é julgado por assassinato em festa na Capital

O fato teria começado com uma "brincadeira"

Diego Alves Publicado em 13/10/2015, às 22h52

None

O fato teria começado com uma “brincadeira”

Guilherme Henrique Santana de Andrea de 27 anos será julgado pelo assassinato de Ítalo Marcelo de Brito Nogueira de 27 anos, na manhã desta quarta-feira (14), na 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande. Guilherme que é filho de um policial civil é acusado de matar Ítalo durante uma festa em uma casa na Rua Aimoré, na Vila Piratininga na noite do dia 4 de junho de 2010.

Nas duas oportunidades em que foi ouvido, Guilherme afirma que foi pegar a arma que estava no carro de seu pai para colocar em local mais seguro, sustentando que várias pessoas estavam entrando no veículo para abaixar o som e poderiam ter acesso à arma.

Ainda segundo o réu, no momento em que ele buscou a arma, Ítalo foi atrás dele e começou a brincar de abraçá-lo, tentando alcançar a espingarda, momento em que ocorreu o disparo e acertou a vítima, no entanto, sem intenção, segundo Guilherme.

O juiz responsável pelo caso, Aluizio Pereira dos Santos, entendeu que “há indícios de que o réu foi ao veículo para pegar a espingarda e ao invés de ir guardá-la em local mais seguro, passou a ‘brincar’, apontando-a na direção de Ítalo e de outras pessoas que ali estavam, quando a vítima se aproximou dele e o disparo ocorreu”. Assim, pronunciou o réu.

Jornal Midiamax