Polícia

Falta de denúncia encorajou marido que ‘pediu desculpa’ para assassinar

Segundo a família, a jovem apanhava com frequência do autor

Midiamax Publicado em 23/02/2015, às 22h35

None
20150222_201316.jpg

Segundo a família, a jovem apanhava com frequência do autor

A falta de denúncia sobre as constantes agressões que sofria, podem ter encorajado o assassinato de Suellen Pereira da Costa, de 28 anos, na noite deste domingo (22) no Jardim Anache, em Campo Grande.

Segundo a família, a jovem apanhava com frequência de Roberto César Pereira Oliveira, de 32 anos, mas nunca denunciou as agressões, nem gostava de comentar o caso com as pessoas próximas a ela.

De acordo com a delegada titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), a maioria dos casos como esse, que resultam em homicídio, são em decorrência de anos de violência domestica.

“A violência é acrescente e gradativa, aos pouquinhos ela vai aumentado e acabam resultando em tentativas de homicídio e até homicídio”, afirma a Molina. Para a delegada, a denúncia é a única maneira de evitar tragédias maiores.

Ainda assim, é comum encontrar mulheres e famílias que não procuram a polícia, mesmo com a violência sendo parte do cotidiano delas. Segundo Molina, o motivo é medo; todo mundo fica intimidado, acreditando que o autor vai cumprir as ameaças que faz.

“Pedimos para todas que sofrem qualquer tipo de agressão, ou parentes, que denunciem, ligue para o 180, é de graça. Não existe outro meio de sabermos sobre o crime e só assim podemos auxiliar essas mulheres”, conclui Molina.

Caso

De acordo com a Polícia Civil, neste domingo o casal, que estava junto há 7 anos, teria iniciado uma briga na casa onde morava. Lá, o autor teria golpeado Suellen duas vezes nas costas, mas ela conseguiu fugir e pediu ajuda para uma família que mora no bairro.

Já na casa das testemunhas, a mulher pediu água e aguardava o socorro quando Roberto chegou em um Gol GTS branco, desceu do carro já armado e atirou cinco vezes contra a ela. Antes dos disparos, o autor pediu desculpa para a família que tentava ajudar a companheira; “Me desculpem eu vou matar ela e ela sabe porquê”.

O socorro foi acionado, mas Suellem morreu na hora. Roberto também é responsável por outro homicídio, praticado em 2013, mas não foi preso. Além disso, também tem passagem por lesão corporal dolosa, quando há intenção, em 2008.

Jornal Midiamax