Defesa pede cela especial para lutador que matou engenheiro em hotel

Lutador matou engenheiro dentro de hotel de Campo Grande
| 08/05/2015
- 01:03
Defesa pede cela especial para lutador que matou engenheiro em hotel

Lutador matou engenheiro dentro de hotel de Campo Grande

A defesa do lutador de jiu-jitsu Rafael Martinelli Queiroz, de 27 anos, entrou nesta semana com um pedido de cela especial para o lutador, que é bacharel em ciências contábeis, desde 2011. Por enquanto, ele está detido no Presídio de Segurança Máxima. No dia 19 de abril, Rafael matou o engenheiro matou Paulo Cezar de Oliveira, de 49 anos, no hotel Vale Verde, em Campo Grande.

Segundo o advogado Darguim Julião Villalva Júnior, ainda é aguardado o laudo sobre um medicamento que pode ter provocado um surto psiquiátrico. A defesa do lutador informou que vai aguardar este exame ficar pronto para dar entrada no pedido de liberdade, mas na consulta processual do TJ MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), já consta um pedido de liberdade provisória com ou sem fiança protocolado na última terça-feira (5)

No pedido de prisão especial, a defesa justifica que a prisão especial garante aos que possuem diploma em curso superior a prisão especial, que deve ser viabilizada pela autoridade policial conforme as condições físicas que possui, mas garantindo a custódia separada do que possui a prerrogativa dos demais presos ditos “comuns”. Em se apresentando impossível o atendimento à garantia legal, deve o acusado ser colocado em prisão domiciliar.

Segundo Villalva Júnior, um laudo feito a pedido da defesa, já apontou que Rafael não estava sob o efeito de maconha ou cocaína. Com os laudos em mãos, a defesa vai encaminhar os resultados a um psiquiatra que poderá dar um parecer sobre o grau de consciência do lutador no momento do assassinato. Até hoje, segundo o advogado, o lutador não se lembra do momento exato da morte do engenheiro. 

Rafael responde pelo crime de homicídio doloso, com intenção de morte, qualificado por qualificado pela impossibilidade de defesa da vítima e motivo fútil, além de lesão corporal dolosa, aquela que há intenção, qualificada por violência doméstica e resistência.

Crime

Segundo informações da Polícia Civil, Rafael teria agredido a namorada, de 24 anos, que fugiu do apartamento em que eles estavam hospedados. Ele foi atrás de jovem e no caminho arrombou a porta de outro quarto e matou o engenheiro Paulo Cezar a cadeiradas.

O engenheiro estava em Campo Grande a trabalho. Já o lutador tinha vindo participar de uma competição no Círculo Militar. 

Veja também

Um dos condutores foi encaminhado para o hospital com traumatismo Craniano Encefálico

Últimas notícias