Polícia

Cliente ‘revoltado’ esfaqueia travesti por não devolver dinheiro após programa

A vítima, de 22 anos, foi socorrida por populares a um posto de saúde em Campo Grande

Midiamax Publicado em 15/01/2015, às 12h47

None
travestis_dg.jpg

A vítima, de 22 anos, foi socorrida por populares a um posto de saúde em Campo Grande

Uma travesti de 22 anos, que teve o nome preservado, foi vítima de tentativa de homicídio doloso – com intenção de morte. O caso foi registrado pela Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, região sul de Campo Grande, na madrugada desta quinta-feira (15), por volta da 00h30.

Uma colega da vítima contou que o motorista de uma caminhonete a abordou na Avenida Costa e Silva para perguntar o valor do programa. Ela informou que era R$ 50 e o condutor dispensou o serviço, porém, parou mais à frente e falou com a vítima, de 22 anos.

Consta nos registros policiais que a amiga viu quando a travesti entrou no veículo e saiu em companhia do suspeito. O casal foi até um hotel da região e permaneceu lá por 35 minutos.

Ainda segundo registro da ocorrência, o condutor pagou o motel e saiu de lá com a vítima, porém, ele pediu à travesti o valor de volta do programa, o que foi negado. Com raiva, o condutor, ainda com o veículo em movimento, começou a esfaquear a passageira.

A travesti começou a pedir socorro, o que chamou a atenção das amigas. Ela conseguiu sair da caminhonete e o suspeito fugiu do local.

A vítima e as colegas tentaram abordar os veículos que passavam pela rua para socorrer a travesti que estava esfaqueada, porém ninguém parou. Elas tiveram de se jogar na frente de um carro para que ele parasse.

A condutora abordada pelo grupo levou a travesti até o posto de saúde da região do Bairro Tiradentes, área leste. Por lá, ela foi medicada e liberada. A vítima foi ferida na perna esquerda, braço esquerdo, cabeça e rosto.

A polícia chegou a ir até o motel e conseguiu ter a cópia do pagamento feito pelo motorista da caminhonete que usou um cartão bancário. Além disso, o estabelecimento tem circuito de segurança que gravou a entrada e saída do veículo de lá.

Jornal Midiamax