Adolescente diz que matou depois de sofrer tentativa de abuso sexual

O crime ocorreu no dia 5 de julho
| 27/07/2015
- 20:35
Adolescente diz que matou depois de sofrer tentativa de abuso sexual

O crime ocorreu no dia 5 de julho

O adolescente de 16 anos, apontado como o autor do homicídio registrado no dia 5 de julho, no Jardim Campo Belo, se apresentou na 2ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande na manhã desta segunda-feira (27). Ele estava na companhia da irmã.

Na madrugada do dia 5, um domingo, a Polícia Militar registrou o assassinato de Sebastião Ribeiro Coutinho, de 59 anos. A princípio, ele teria sido morto depois de uma briga. De acordo com o delegado Alexandre Amaral Evangelista, o adolescente foi identificado pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) e se apresentou para dar esclarecimentos sobre o fato.

Em depoimento, o jovem afirmou que agiu em legítima defesa. Segundo o garoto, ele estava no bar, acompanhado de amigos, quando Sebastião chamou ele e outro jovem para sentar na mesma mesa e beber. Ainda de acordo com o adolescente, momentos depois a vítima o chamou para dar uma volta de carro, e ele aceitou.

Já no carro, Sebastião teria exigido que o garoto tivesse relação sexual com ele. “Ele disse que se eu não aceitasse ele ia me matar”, disse. O jovem afirmou que, para se defender, empurrou o homem. “Eu empurrei ele, dei uma rasteira e, quando ele caiu, dei dois chutes no rosto e esfaqueei ele”, contou o adolescente.

Questionado sobre o motivo pelo qual estava armado, o adolescente disse “tenho guerra na rua, estava com a faca para me defender”. O jovem, que já tem passagem pelo furto de uma moto, deverá ser encaminhado para a Deaij (Delegacia Especializada no Atendimento à Infância e Juventude), onde o caso será investigado.

O amigo da vítima, que teve o nome preservado, quando questionado pela polícia, afirmou apenas que Sebastião tinha ido ao banheiro e sumiu. Momentos depois, viu uma movimentação e percebeu que o amigo tinha sido morto. Se comprovada a versão do adolescente, o caso, agora tratado como homicídio, poderá ser tratado como legítima defesa.

O caso

Na madrugada do dia 5, a Polícia Militar foi acionada para ir até o Bar do Papai, localizado no Jardim Campo Belo, onde Sebastião havia sido esfaqueado. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas a vítima morreu no local.

O autor do crime não tinha sido identificado e a suspeita era de que havia ocorrido uma briga generalizada. 

Veja também

Penitenciária sofrerá intervenção por 30 dias

Últimas notícias