Polícia

Acusados de duplo homicídio na Capital são apresentados pela polícia nesta sexta

O crime aconteceu em fevereiro deste ano no bairro Estrala Dalva 

Gerciane Alves Publicado em 09/10/2015, às 13h43

None
img-20151009-wa0047.jpg

O crime aconteceu em fevereiro deste ano no bairro Estrala Dalva 

A polícia apresentou na manhã desta sexta-feira (9) Tiago Muniz de Moraes Santos de 25 anos e seu tio Semi Muniz de Moraes de 38 anos, acusados de provocar a morte de duas pessoas por causa de uma rixa em fevereiro deste ano.

De acordo com a polícia, Tiago Muniz e Semi Muniz tinham uma desavença com Renner Oliveira Amaro de 22 anos e Ricardo Henrique dos Santos, de 29, por causa de uma briga em dezembro do ano passado. Por causa dessa briga Renner e Ricardo foram até a casa dos dois acusados, localizada no Bairro Estrela Dalva, região norte da Capital, se desentenderam novamente e começaram a trocar tiros.

Durante os disparos, Agda Muniz de Moraes de 46 anos e Tais Paulo de Goes de 20 anos, mãe e namorada de Tiago respectivamente foram atingidas e Renner acabou morrendo no local também atingido por um tiro. Revoltado por ter a mãe e a namorada feridas, Tiago foi até a casa de Ricardo e matou a esposa dele Eloisa Chaves, de 44 anos.

Os dois estavam foragidos até então. Durante esse tempo, Tiago ainda se envolveu em outra confusão, desta vez em Coxim, cidade a 253 quilômetros de Campo Grande onde acabou parando na delegacia por disparo de arma de fogo. Na ocasião um segurança acabou atingido por um tiro.

Ricardo foi preso em flagrante no dia do crime com um revolver calibre 38, mas responde o processo em liberdade. Já Tiago foi preso em Corumbá, cidade 444 a quilômetros de Campo Grande e Semi no Bairro Vida Nova na Capital. Os dois foram encaminhados para o presídio por duplo homicídio e se condenados podem pegar de 10 a 15 anos de prisão.

Defesa

De acordo com defesa, a única pessoa que atirou durante o desentendimento na casa dos acusados foi o Tiago Muniz, que adquiriu duas armas, um revólver 357 e uma pistola, porque se sentiu ameaçado depois da desavença em dezembro do ano passado.

Sobre essa desavença, o advogado de defesa Marcos Ivan explica que Tiago participou com a intenção de separar a briga. Segundo ele, um grupo de pessoas estava brigando, Tiago quis por fim a confusão e acabou virando alvo, sendo ameaçado desde então. Ainda segundo o advogado Tiago teve até a casa atingida por tiros no natal. “Ele sabia do risco que estava correndo” destaca.

Jornal Midiamax