Polícia

‘Acerto de contas’ pode ter sido motivo de execução de rapaz em bairro da Capital

O caso foi registrado como homicídio doloso

Midiamax Publicado em 14/04/2015, às 11h43

None
assassinato_guanandy_diego.jpg

O caso foi registrado como homicídio doloso

O delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, região sul de Campo Grande, Enilton Zalla, acompanhado de policiais civis estiveram no local onde Lyniker de Castro Figueiredo, de 19 anos, foi assassinado. O fato aconteceu na noite de segunda-feira (13), por volta das 20h30, na Rua Graúna, no Bairro Guanandi, região sul de Campo Grande.

Uma das hipóteses levantadas pela Polícia Civil é de que a vítima pode ter sido executada por conta de um acerto de contas, a informação foi passada por uma testemunha que presenciou o crime e afirmou que ambos são envolvidos com tráfico de drogas e receptação de produtos roubados e furtados.

Lyniker estava morando há pouco tempo na casa de um amigo. Na noite de ontem, ele estava sentado em frente do imóvel com alguns colegas, quando percebeu que um veículo Uno, vermelho, se aproximou e parou em frente do imóvel.

Com isso, a vítima correu para dentro da casa, ocasião na qual foi perseguida pelos suspeitos, que estavam armados com pistolas .40. Eles invadiram um dos quartos em que o rapaz tentava se esconder e efetuaram dois disparos de arma de fogo, sendo nas costas e cabeça de Lyniker.

Com o barulho do atentado, o grupo que estava com a vítima se dispersou e os autores fugiram do local. Eles ainda não foram identificados. Socorristas e PM (Polícia Militar) foram acionados, mas Lyniker não resistiu aos ferimentos.

A Perícia Criminal encontrou cápsulas de calibre .40 na entrada do cômodo onde estava o corpo da vítima. Elas foram apreendidas. Já o corpo do rapaz foi encaminhado para o Imol (Instituto de Medicina e de Odontologia Legal) e o caso foi registrado como homicídio doloso, com intenção de matar.

Jornal Midiamax