Polícia

Turquia: repórter da CNN é preso durante transmissão ao vivo

Um correspondente da emissora americana CNN foi detido pela polícia turca enquanto trabalhava na cobertura das manifestações que marcaram o primeiro aniversário dos protestos em massa contra o governo, em Istambul, no último sábado, 31. A informação é do Daily Mail. Ivan Watson estava explicando que a polícia havia bloqueado o centro da cidade para […]

Arquivo Publicado em 01/06/2014, às 21h00

None
527866170.jpg

Um correspondente da emissora americana CNN foi detido pela polícia turca enquanto trabalhava na cobertura das manifestações que marcaram o primeiro aniversário dos protestos em massa contra o governo, em Istambul, no último sábado, 31. A informação é do Daily Mail.


Ivan Watson estava explicando que a polícia havia bloqueado o centro da cidade para impedir que manifestantes depositassem flores no local onde, em 2013, protestos foram violentamente reprimidos por policias não fardados, quando foi repreendido.


Os telespectadores que assisitam à CNN Internacional no momento da transmissão viram autoridades turcas exigerem ver os documentos do repórter e de sua equipe.


O jornalista disse no ar ao âncora da emissora: “Errol, nós estamos sendo presos exatamente agora”.


Embora Watson tenha mostrado sua credencial de imprensa, os policias perguntaram: “Para que canal você trabalha? Onde está o seu passaporte?”. Logo em seguida, a gravação foi interrompida.


De acordo com a CNN, o jornalista foi obrigado a ajoelhar antes de ser algemado e levado pelos policiais, enquanto outro oficial das forças de segurança quebrava o microfone da câmera enquanto tentava tirá-lo do cinegrafista.


Watson e sua equipe permaneceram detidos até os seu passaportes serem recuperados por um escritorio da CNN nas proximidades, após meia hora.


No final de maio e junho de 2013, centenas de milhares de turcos foram às ruas para protestar contra o autoritarismo do primeiro-ministro Erdogan.


Violentamente repreendidos pela polícia, os protestos se espalharam para outras cidades e acabaram se tornando as maiores manifestações da Turquia nas últimas dácadas. Milhares de pessoas ficaram feridas, e ao menos 12 morreram.


No último sábado, a polícia usou gás lacrimogêneo e jatos de água para dispersar centenas de manifestantes que desafiaram a ordem do primeiro ministro e se reuniram em Istambul e Ankara para lembrar o aniversário das manifestações de 2013.


De acordo com a Associação do Direitos Humanos, ao menos 83 pessoas foram presas e 14 ficaram feridas apenas na capital, onde os manifestantes avançaram rumo a praça Taskim.


A Associação de Jornalistas da Turquia condenou a prisão do repórter da CNN e chamou a ação da polícia de vergonhosa.

Jornal Midiamax