Polícia

Seis homens envolvidos na morte de policial militar no Indubrasil já foram identificados

Um deles morreu após o confronto com a polícia, outro está foragido e os demais foram detidos. Eles participaram da tentativa de latrocínio, roubo seguido de morte, e tem associação ao PCC, facção criminosa que age dentro dos presídios do país

Arquivo Publicado em 09/06/2014, às 16h10

None

Um deles morreu após o confronto com a polícia, outro está foragido e os demais foram detidos. Eles participaram da tentativa de latrocínio, roubo seguido de morte, e tem associação ao PCC, facção criminosa que age dentro dos presídios do país

Ação em conjunta entre as polícia Militar, Civil e Rodoviária Federal terminou na prisão de quatro pessoas que são apontadas pela morte do soldado da PM (Polícia Militar), Rony Maickon Varoni de Moura da Silva, de 28 anos, no último dia 3. Além disso, uma quinta morreu após entrar em confronto com a polícia e a sexta está foragida. Pelas investigações, foi apurado que a quadrilha faz parte do PCC, uma facção criminosa que age dentro dos presídios do País.


Após quatro dias de investigação, eles foram identificados como  Clebson de Lima Vilhagra, de 35 anos, Rafael Fernandes de Quadros, de 23 anos, Kelvin Willian Santarosa da Silva e Johny Franks Vargas, ambos de 21 anos, além de um adolescente de 17 anos, apenas identificado como E.R.S.. O sexto não teve o nome divulgado.


PRISÃO


Por conta das investigações, a polícia descobriu que parte do bando estava em uma residência da Rua Taumaturgo, no Jardim Aero Rancho, região sul de Campo Grande. No imóvel estava o adolescente acompanhado de Kelvin e Rafael quando as equipes do 10º BPM (Batalhão da Polícia Militar) chegaram ao local, no sábado (7), por volta das 19 horas.


Os militares foram recebidos com tiros e por conta disso houve confronto. O jovem foi alvejado e socorrido até o HR (Hospital Regional), mas não sobreviveu aos ferimentos. Já os comparsas conseguiram fugir no Kadett, de cor vermelha, placas AGB-9640, de Rolândia (PR).


O veículo foi pego no Jardim das Hortências, região sul de Campo Grande, e eles seguiam para o país vizinho, o Paraguai. Pelo caminho, a dupla foi abordada na BR-267, em Guia Lopes da Laguna, por equipe da PRF (Polícia Rodoviária Federal) em uma barreira, ocasião em que foram presos.


Uma equipe do BPChoque (Batalhão de Policiamento de Choque) foi até o local para conduzir Kelvin e Rafael para Campo Grande. No trajeto de volta, a viatura acabou se envolvendo em um acidente, próximo da cidade de Maracaju. Apenas os militares sofreram lesões leves. A dupla que estava no camburão só sofreu escoriações. Todos foram atendidos no hospital do município da região.


Antes da prisão, durante a fuga, eles ligaram para outro comparsa, Johny, avisando da troca de tiros e da perseguição. O rapaz “pediu carona” para que o deixasse no Paraguai, porém a Blazer da família foi interceptada perto de Sidrolândia e o suspeito foi preso.


Em depoimento, Kelvin contou que as motos usadas no crime e as armas foram fornecidas por Johny. Além disso, foi pedido para Clebson guardar as armas de fogo usadas no crime, que mora em uma casa que fica nos fundos de um estabelecimento comercial de veículos que fica na Avenida Raquel de Queiroz.


Uma das motocicletas foi encontrada com um suspeito que mora na Rua José Gilberto Abuhassan e a outra estava  no imóvel da Travessa Baturite. Os moradores dos dois locais não tiveram os nomes divulgados, apenas um deles não foi encontrado pela polícia. Já o outro contou que estava com o veículo como garantia de negócio feito entre ambos.


CRIME


Foi apurado que um dos suspeitos,  o que estava com a moto em garantia, acompanhado de Rafael, Kelvin e o adolescente de 17 anos participaram diretamente da morte de Rony, que trafegava no próprio veículo, com outro militar, pela BR-262, no Bairro Indubrasil, região oeste de Campo Grande.


O suspeito e Kelvin foram os responsáveis por pilotarem uma Honda Titan, de cor chumbo, e uma Honda Twister, de cor vermelha. Já Rafael e o adolescente eram os garupas e estavam armados com um revólver e uma pistola. Eles teriam efetuado vários tiros contra o carro da vítima e por haver troca de tiros, a quadrilha acabou fugindo do local. Eles foram encaminhados para a Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos).

Jornal Midiamax