Polícia

Quinze presos trabalharam por um mês em reforma de escola em Campo Grande

A reforma da Escola Estadual Delmira Ramos, no bairro Coopavila 2, em Campo Grande, contou com o trabalho de 15 presos. Eles pintaram todo o prédio, reformaram a parte elétrica e hidráulica, trocaram 50 lâmpadas, reformaram bebedouro e plantaram 1.100 mudas cultivadas no presídio da Gameleira. A obra foi entregue nesta quarta-feira (26) pelo governador […]

Arquivo Publicado em 26/02/2014, às 13h13

None
858382533.jpg

A reforma da Escola Estadual Delmira Ramos, no bairro Coopavila 2, em Campo Grande, contou com o trabalho de 15 presos. Eles pintaram todo o prédio, reformaram a parte elétrica e hidráulica, trocaram 50 lâmpadas, reformaram bebedouro e plantaram 1.100 mudas cultivadas no presídio da Gameleira. A obra foi entregue nesta quarta-feira (26) pelo governador André Puccinelli.

O trabalho durou um mês e 10 dias e foi acompanhado por um oficial penitenciário, conforme o diretor da Gameleira e coordenador do projeto Pintando Educação com Liberdade, Tarley Candido Barbosa.

A seleção dos presos levou em conta a habilidade e o comportamento deles. Os produtos foram adquiridos com parte da remuneração dos presos, que também têm a pena reduzida em um dia para cada três trabalhados.

“Eles estão contribuindo com a sociedade e ganhando experiência”, afirmou o secretário de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini.

O preso Nilson Benites, de 45 anos, é pintor há 23 anos, mas há oito cumpre pena por tráfico de drogas. Ele contou estar orgulhoso por poder contribuir com a sociedade.

Benites é pai de quatro filhos e agora pode ajudar os filhos de outras pessoas, que terão uma escola melhor. “É ótimo. A escola estava destruída e deixamos ela muito bonita”, disse.

Já o governador André Puccinelli destacou que o projeto é importante para a ressocialização dos detentos.

Jornal Midiamax