Polícia

Preso em Campo Grande assaltante que só atacava lojas com atendentes mulheres

O homem diz que trabalha como piscineiro e usava máscara cirúrgica nos assaltos. Ele escolhia pequenas lojas, geralmente com balconistas que ficavam sozinhas no estabelecimento.

Arquivo Publicado em 10/04/2014, às 12h07

None
1845214704.jpg

O homem diz que trabalha como piscineiro e usava máscara cirúrgica nos assaltos. Ele escolhia pequenas lojas, geralmente com balconistas que ficavam sozinhas no estabelecimento.

A Derf (Delegacia Especializado em Roubos e Furtos) apresentou na manhã desta quinta-feira (10) o piscineiro Claudemir Alves de Paula, 27, acusado de cometer pelo menos 12 assaltos à mão armada em estabelecimentos que tinham especificamente atendentes mulheres.

Os roubos eram feitos durante o período da manhã e da tarde nos horários de intervalo do trabalho de piscineiro. Claudemir escolhia lojas menores, com preferência nas que mantinham apenas uma atendente, usava máscaras cirúrgicas, capacete ou mesmo de cara limpa e agia com violência, logo que entrava nos estabelecimentos anunciava o assalto e ameaçava as funcionárias com um canivete.

Segundo o delegado responsável, Fabiano Nagata, os roubos começaram em junho do ano passado e o caso levou dois meses para ser resolvido principalmente pela falta de antecedentes criminais, já que Claudemir não tinha passagem na policia, mantinha emprego fixo e era casado.

A investigação chegou ao acusado baseado em imagens das câmeras de segurança das lojas e por sua moto, uma Honda CG, com placa HRK-2414 de Campo Grande- MS, que era usada nos assaltos.

O assaltante explica que os furtos foram um momento de bobeira de sua parte, que viu facilidade e continuou cometendo o crime. Ele afirma que usou o dinheiro que pegou para pagar suas contas e que sua mulher não sabia de nada, para ela o dinheiro era proveniente de trabalhos extras.

O alvo era o comércio em geral, entre as lojas assaltadas por Claudemir estão, Neo Zen na Rua Bahia, O Boticário na  Avenida Amazonas, Sofá e Cia e Toca Brasil na Avenida Mato Grosso.

Jornal Midiamax