Polícia

Policial civil de MS foi executado pelas costas em cidade paraguaia

De acordo com a Polícia Civil, por volta das 15h40, o papiloscopista policial, foi à cidade do país vizinho, passar informações a Comissão Paraguaia sobre o furto de um trator agrícola ocorrido em Sete Quedas

Arquivo Publicado em 12/02/2014, às 23h33

None
785868632.jpg

De acordo com a Polícia Civil, por volta das 15h40, o papiloscopista policial, foi à cidade do país vizinho, passar informações a Comissão Paraguaia sobre o furto de um trator agrícola ocorrido em Sete Quedas

O policial civil Marcílio de Souza de 51 anos, morto na tarde desta quarta-feira (12), na cidade de Ypêjhú, fronteira com Paranhos (477 km de Campo Grande), foi executado pelas costas com um tiro na nuca.

De acordo com a Polícia Civil, por volta das 15h40, o papiloscopista policial, foi à cidade do país vizinho, passar informações a Comissão Paraguaia sobre o furto de um trator agrícola ocorrido em Sete Quedas.

Na volta ele parou em uma lanchonete, que fica a 100 metros da fronteira, onde pediu uma água e sentou-se numa cadeira na varanda. Minutos depois, surgiu um motociclista que desceu da moto e efetuou um tiro com uma arma calibre 12, que o acertou na nuca.

Marcílio ainda chegou a ser atendido e levado ao Hospital Municipal de Paranhos, porém não resistiu ao tiro. A motocicleta utilizada pelo autor, de modelo paraguaia e sem placas, abandonado no local, foi apreendida pela polícia local.

O Policial Civil morto estava armado com um revólver calibre 38 e uma pistola calibre . 40, com dois carregadores e munições de reserva. Dois celulares que estavam com a vítima foram apreendidos e serão periciados.

Auxiliaram na ocorrência, a PM do Pefron e polícia paraguaia. Ainda segundo a Polícia Civil, a polícia do país vizinho se solidarizou em auxiliar nas investigações. O corpo do policial foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Ponta Porã para Exame de Corpo de Delito Necroscópico.

Outro caso de policial civil assassinado

No último dia 28 de janeiro, o policial civil Dirceu Rodrigues dos Santos de 38 anos, o policial foi assassinado com três tiros na noite do dia 28 de janeiro, no bairro Campo Nobre, em Campo Grande.

Dirceu investigava o furto de uma joia avaliada em R$ 80 mil, ocorrido em 7 de janeiroem Campo Grande. O policial civil estava junto com o também investigador Osmar Ferreira, 39 anos, momento em que foram reconhecidos e rendidos por 7 pessoas, entre eles um adolescente de 15 anos.

Dirceu foi executado com três tiros que os atingiram na cabeça e um o abdômen. Já Osmar que chegou a ser agredido conseguiu escapar e pedir reforço policial. Todos os envolvidos foram presos.

Jornal Midiamax