Polícia

Polícia prende três acusados de furto de 90 cabeças de gado em Campo Grande

A polícia prendeu três homens acusados de furtarem 90 cabeças de gado da Fazenda Novo Imbirussu, no anel rodoviário, entre Campo Grande e Sidrolândia. O Grupo Armado de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras) foi o responsável pelas investigações que localizou os suspeitos. No dia 21 de janeiro, 90 cabeças foram levadas […]

Arquivo Publicado em 11/02/2014, às 14h13

None

A polícia prendeu três homens acusados de furtarem 90 cabeças de gado da Fazenda Novo Imbirussu, no anel rodoviário, entre Campo Grande e Sidrolândia. O Grupo Armado de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras) foi o responsável pelas investigações que localizou os suspeitos.

No dia 21 de janeiro, 90 cabeças foram levadas da fazenda do proprietário de 83 anos. A polícia localizou os ladrões por levantamentos da marca padrão do gado e do “modus operandi”, que seria a maneira de agir, dos suspeitos do crime.

Orisvaldo Marinho da Silva, 46 anos, conhecido como “Maninho Canhoto”, Rafael Costa dos Santos, 22 anos, conhecido como “Borevi” e Jânio Malaquias, 35 anos, estão respondendo por furto qualificado, falsidade ideológica e furto qualificado pelo concurso de pessoas.   

Jânio teria vendido algumas cabeças de gado a outro fazendeiro no município de Camapuã, e localizando esse fazendeiro a polícia chegou à localização dos suspeitos.  Maninho Canhoto furtou os animais com a ajuda de Rafael, que é filho de um homem que já trabalhou na fazenda que foi furtada.

De acordo com o delegado titular do Garras, Alberto Rossi, Maninho Canhoto aproveitou de suas habilidades com a lida de gado para praticar o furto.  Ele é laçador profissional e disputa provas de laço comprido na Federação de Laço Comprido e no Circuito de Laço Comprido (CLC).

Das 90 reses furtadas, 16 foram recuperadas na Fazenda Retiro do Gavião, em Camapuã. A Polícia Civil apura se o bando praticou outros furtos de gado e investiga cúmplices que possam estar envolvidos nos crimes.

Jornal Midiamax